Especial Casamento

Casamento coletivo: entenda como funciona e quais requisitos

Por Redação Doutíssima 25/10/2015

Muitos casais querem celebrar casamento e deixam de fazê-lo em razão dos altos custos envolvidos. Acontece que para eles há a opção do casamento coletivo – normalmente organizado e financiado por terceiros. Entenda um pouco mais sobre como funciona essa alternativa para oficializar o amor sem gastar dinheiro.

 

De acordo com uma pesquisa produzida pelo site Quem Casa Quer Site, em média gasta-se R$ 40 mil em uma festa de casamento no Brasil. Segundo o levantamento, o valor é quase 50% maior do que o inicialmente previsto pelos casais. Os custos com documentação de cartório em regra ficam na faixa dos R$ 300 – parece pouco, mas dependendo da renda de quem está casando só ele já pode ser um tanto quanto pesado.

casamento coletivo bibiphoto shutterstock doutissima

Casamento coletivo é alternativa para reduzir gastos financeiros para quem precisa. Foto: bibiphoto/Shutterstock

 

Como funciona um casamento coletivo?

Esse tipo de casamento funciona da mesma forma que um casamento individual. A diferença é a que o nome atribuído à cerimônia já indica – trata-se de uma celebração coletiva, ou seja, que contempla mais casais de uma só vez.

 

Para aqueles que não possuem recursos para pagar uma celebração por conta própria, esse tipo de cerimônia é uma grande vantagem em termos econômicos. Aliás, em geral o objetivo da realização de casamentos coletivos é justamente dar às pessoas mais carentes a possibilidade de oficializar o matrimônio – embora atualmente elas já estejam protegidas pela lei através da União Estável.

 

Normalmente, eles são promovidos por órgãos governamentais – tribunais de Justiça ou alguma secretaria do Poder Executivo –, com os custos sendo bancados por entidades da iniciativa privada.

 

Os requisitos para participar de cada evento variam bastante – um que em geral está presente em todos eles é provar a inviabilidade econômica para bancar os custos da celebração por conta própria. Os mimos oferecidos também alternam bastante – em alguns eventos são oferecidos aos noivos buquês, decoração e música.

 

Às vezes, entidades ou associações promovem a celebração de um casamento coletivo. Recentemente, por exemplo, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Pernambuco ofereceu essa possibilidade a seus associados, presenteando noivas com vestido e dia de beleza, e os novos casais com uma lua de mel em hotel da região.

 

Para participar de uma dessas cerimônias o ideal é consultar o Tribunal de Justiça do seu Estado, informando-se também sobre os prazos e os requisitos – vale destacar que em geral é oferecido um determinado número de vagas. Não esqueça também de pesquisar em sua comunidade ou em alguma associação da qual faça parte, que também costumam oferecer esse tipo de celebração.

 

Próximos casamentos coletivos no Brasil

Ficou curioso e quer acompanhar um casamento coletivo para ver se gosta da proposta? Confira alguns que serão realizados nas próximas semanas no Brasil.

 

1. Curitiba, Paraná – 5 de dezembro

 

Com inscrições finalizadas em 19 de outubro, em 5 de dezembro será realizado em Curitiba um casamento coletivo voltado para pessoas com deficiência e poucos recursos econômicos. A cerimônia será realizada no Parque Barigui.

 

2. Belo Horizonte, Minas Gerais – 11 de dezembro

 

Um grande casamento comunitário está sendo organizado pela Defensoria Pública de Minas Gerais. As inscrições foram até 19 de outubro, mas a cerimônia será realizada em 11 de dezembro no Ginásio do Mineirinho. As taxas matrimoniais são gratuitas para aqueles que comprovaram a incapacidade de pagá-las.

 

3. Brasília, Distrito Federal – 2016

 

Recentemente Brasília organizou a 12ª edição do projeto “Alma Gêmea”, que busca possibilitar a celebração de casamento para pessoas de baixa renda – o governo organiza o cerimonial e a iniciativa privada banca os custos. Foram 81 casais que oficializaram a União. Uma nova edição está prevista para 2016 – com inscrições abertas a partir de março e cerimônia realizada em maio.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros