[the_ad_group id="16401"]
Esporte > Fitness

MMA feminino vem conquistando cada vez mais espaço

Por Redação Fortíssima 26/02/2016

Desde de 2013, as lutas de MMA feminino fazem parte da principal competição da modalidade, o Ultimate Fighting Championship (UFC), dominado apenas pelos homens por 20 anos. Com isso, a prática do esporte entre as mulheres só tem aumentado, inclusive entre iniciantes nas academias, que buscam os benefícios da atividade.

Como combina diversas lutas, o MMA promove uma alta queima de calorias e ainda ajuda na definição muscular de todo o corpo. A atividade intensa e dinâmica faz a mulherada suar a camisa e conquista cada vez mais adeptas.

Sucesso do MMA feminino

A ascensão do MMA feminino deve muito a Ronda Rousey, a primeira mulher a ser contratada pelo UFC. Ela estreou na competição em fevereiro de 2013 e dominou o cinturão de peso-galo por dois anos. Com o seu sucesso, o número de lutas femininas dobraram no Ultimate, além de ter ajudado a conquistar um evento feminino exclusivo, o Invicta FC.

As brasileiras também tem feito nome no esporte, sendo representadas por lutadoras como Claudinha Gadelha, Jessica Bate-Estaca, Amanda Nunes, Bethe Correia, Juliana Lima, Ericka Almeida, Larissa Pacheco e Cris Cyborg.

Com o aumento do MMA feminino nas grandes competições, o interesse das mulheres pela modalidade também cresceu. De acordo com uma pesquisa realizada pelo canal Combate, o público feminino representa 39% dos fãs do esporte na TV paga, índice que era de apenas 18% em 2005.

E não é apenas na audiência que o aumento do público feminino pode ser percebido. As mulheres também estão procurando cada vez mais a prática do esporte nas academias e escolas de luta.

MMA feminino

Ronda Rousey é o principal nome feminino do MMA mundial. Reprodução: Instagram

Benefícios e cuidados da prática

O MMA combina diversos tipos de lutas, utilizando técnicas do jiu-jitsu, boxe, judô, muay thai e luta olímpica. Por esse motivo, a atividade é intensa e completa, mobilizando todo o corpo em movimentos aeróbicos. Em uma hora de treino é possível queimar até 1.400 calorias, ajudando quem quer eliminar gordura corporal e perder peso.

Também contribui para a definição da musculatura, beneficiando principalmente os músculos dos glúteos, coxas, braços, abdômen e outros. Devido à dinâmica da luta e o confronto com outros pessoas, a atividade ainda ajuda a aliviar o estresse e a ansiedade, proporcionando relaxamento e bem-estar após o treino.

Para praticar o MMA feminino é indicado que a pessoa já tenha contato com alguma outra luta marcial, para saber o básico sobre os movimentos e como se defender. Antes de começar, também é preciso fazer avaliações físicas e de saúde.

Durante a prática, alguns cuidados são necessários para evitar lesões e outras complicações. Os lutadores devem usar bandagem e luvas nas mãos para proteger dedos e articulações, além de protetor bucal nos treinos com adversários e competições.

E aí, gostou das dicas? Deixe um comentário! E não esqueça de compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]