[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral > Médicos > Saúde

Prevenção de dores lombares no ambiente de trabalho

Por André Marques Mansano 30/03/2016

As dores lombares representam um dos principais motivos que levam um paciente ao médico e talvez a maior causa de absenteísmo (falta no trabalho). Um estudo patrocinado pela Fundação Bill & Melinda Gates avaliou o impacto de inúmeras doenças em todos os países do mundo e mostrou que as dores lombares são as campeãs em causar incapacidade na população em geral (Figura 1).

dores lombares

As dores lombares se destacam como doença que mais causa incapacidade no trabalho. Imagem: Dr. André Mansano

Felizmente na maioria dos casos a dor lombar é tratada de forma satisfatória com medidas pouco invasivas como analgésicos e fisioterapia. Porém, alguns pacientes não tem a mesma sorte e evoluem com o que chamamos de dor lombar crônica, definida como dor nas costas por pelo menos 3 meses no ano.

Sabemos que atualmente 10% das pessoas sofrem com dores lombares crônica. Isso mesmo, uma em cada dez pessoas. Um estudo holandês, recentemente publicado em uma das mais importantes revistas de reumatologia do mundo, fez uma revisão a respeito da prevenção das dores lombares no ambiente de trabalho. Destacam-se:

Fatores de risco

Sabe-se que os homens têm maior propensão a desenvolver lombalgias durante o trabalho, provavelmente por terem mais atuação em atividades com sobrecarga muscular. Obviamente, trabalhos que consistem na elevação de pesos frequentes causam maior número de lesões na coluna.

Podemos citar trabalhadores da construção civil até funcionários de serviços de saúde (ex. transferência de pacientes entre leitos). Atividades que demandam muito tempo sentado ainda não foram definidas como maiores causadores de dores lombares, embora possam piorar quadros pre-existentes.

Como prevenir

Uma vez que o carregamento de peso é uma das causas do aumento da incidência de dores lombares, faz sentido limitar não só a quantidade de peso mas também a frequência com a qual o trabalhador é exposto a essas sobrecargas. Agências americanas limitam o carregamento de peso a no máximo 23Kg. É muito importante também que não se caminhe longas distâncias com a carga de peso sustentada.

Programas que visam melhorar a ergonomia dentro do ambiente de trabalho também são fundamentais, embora difíceis de serem seguidas. Empresas ou corporações que adotam medidas como ajuste de cadeiras, mesas e suportes de computadores, bem como programas de alongamento periódicos, apresentam menores incidências de dores lombares em seus funcionários.

Atitudes individuais como atividades físicas frequentes e fortalecimento muscular são as principais formas de prevenção das dores lombares crônicas e não devem ser negligenciadas.

Como deve ser feito o tratamento dos pacientes com dores lombares?

O passo mais importante, sem dúvida alguma, é um diagnóstico preciso. Sabemos que inúmeras estruturas da coluna lombar podem ser causas de dores e sabemos também que exames de imagem (ex. ressonância nuclear magnética). Atualmente temos como ferramenta extremamente útil os “bloqueios diagnósticos”.

Os bloqueios diagnósticos são infiltrações realizadas de forma precisa, com ajuda de algum método de imagem (ex. raio-x, tomografia ou ultrassom). Por exemplo, se suspeitarmos que um músculo específico é a causa da dor do paciente, podemos infiltrar exatamente aquele ponto muscular, caso o paciente melhore, temos a certeza que aquele ponto era de fato a fonte da dor.

Isso pode ser feito com várias estruturas como disco intervertebral, facetas lombares (articulações entre as vértebras), hérnias de disco, etc. É a única forma de termos certeza de onde vem a dor do paciente. Sabendo exatamente a fonte da dor, podemos traçar um plano de tratamento mais específico.

 

Dr. André Marques Mansano é graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina. Recebeu do Instituto Mundial de Dor (World Institute of Pain) um título internacional denominado: “Fellow of Interventional Pain Practice”, em Budapeste. Médico Intervencionista da Dor na SINGULAR – Centro de Controle de Dor e no Hospital Israelita Albert Einstein (SP).  Membro da Associação Médica Brasileira (AMB), do Membro do Comitê de Educação do “World Institute of Pain” e da Sociedade Brasileira dos Médicos Intervencionistas em Dor.

Site web: http://www.drandremansano.com.br/

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]