[the_ad_group id="16401"]
Especialidades > Saúde

Descubra para que serve e como funciona a bomba de insulina

Por Redação Fortíssima 25/04/2016

O controle da glicemia é fundamental para diabéticos e pode ser feito através da alimentação balanceada, prática de exercícios físicos, injeções diárias ou ainda com a bomba de insulina, uma alternativa que proporciona mais liberdade para os pacientes.

O tratamento mais adequado é indicado de acordo com as necessidades de cada caso. Ou seja, é importante sempre seguir as orientações do médico e dos produtos utilizados, pois o uso indevido pode causar transtornos e acabar atrapalhando o tratamento.

Como funciona a bomba de insulina

A bomba de insulina é um aparelho com comando eletrônico que envia pequenas doses de insulina para a corrente sanguínea de forma continua, durante 24 horas por dia. A quantidade é precisa, definida para manter o controle glicêmico entre as refeições e ao longo da noite, conforme as necessidades do paciente.

A programação do aparelho é previamente definida pelo médico, que regula as dosagens adequadas para cada momento do dia e também de acordo com a dieta seguida. A bomba de insulina é usada externamente ao corpo e não é necessário nenhum procedimento cirúrgico.

Os modelos do aparelho costumam utilizar um reservatório de insulina que possui um tubo plástico fino, com uma cânula flexível. Ela é colocada no subcutâneo através de uma agulha guia, que é retirada após a aplicação. 

A cânula pode ser aplicada no abdômen, região lombar, nádega, coxas e braços, fixada por meio de um adesivo. A bomba de insulina pode ser usada dentro do bolso ou ainda adaptada externamente. Pode ser facilmente desconectada para tomar banho ou outras atividades, mantendo a conexão no subcutâneo.

bomba de insulina

A bomba de insulina fica presa na roupa e permite que você faça suas atividades. Foto: iStock, Getty Images

Cuidados para utilizar a bomba de insulina

A terapia é uma forma fisiológica, ajustável e personalizada de controlar a glicose no sangue de pessoas com diabetes. Ela possibilita mais liberdade para comer, dormir e viajar sem a preocupação com os horários das injeções de insulina ou com alimentação especial.

Entretanto, a indicação deve ser feita sempre pelo médico especialista, que avalia se essa é a melhor opção de tratamento. Existem casos em que as pessoas conseguem controlar a glicemia apenas por meio da alimentação balanceada e prática de exercícios, por exemplo. Já outros exigem a manutenção com medicamentos.

Um dos principais cuidados ao usar a bomba de insulina é mudar a cada dois ou três dias o local onde a cânula é aplicada, evitando inflamação ou infecção no subcutâneo. Mesmo com essa terapia, é necessário verificar o nível de glicemia algumas vezes ao dia, mantendo um bom controle glicêmico e garantindo que a dosagem do aparelho está adequada.

E aí, o que achou da bomba de insulina? Já conhecia essa alternativa de tratamento? Deixe o seu comentário.


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]