[the_ad_group id="16401"]
Bem-Estar > Motivação > Slider Home

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso adotam menina africana

Por Redação Fortíssima 07/07/2016

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso acabam de virar papais. Junto desde 2010, o casal está dando boas-vindas à pequena Titi, uma menina africana de dois anos que chegou para completar a família. A novidade foi anunciada por Gian Luca, irmão da repórter, através de uma fotografia compartilhada no Instagram.

“O anjo da família chegou. Bem-vinda, Titi. Nós te amamos”, escreveu na legenda da foto. Bruno comentou com vários corações, enquanto Giovanna a chamou de “amor da minha vida”. Parece que a pequena já conquistou a nova família. 

No entanto, o processo de adoção foi longo e começou ainda no ano passado, quando o casal visitou o sul da África. Mas você sabe como funcionam os trâmites aqui no Brasil? A demora pode ser grande.

Giovanna Ewbank

Titi já faz sucesso nas redes sociais. Foto: Instagram, Reprodução

Retrato da adoção no Brasil

Um processo de adoção leva, em média, um ano para ser concluído no Brasil. Mas há uma série de variáveis que podem atrasar esse procedimento. Segundo dados atualizados do Cadastro Nacional de Adoção, para cada criança na fila, há pelo menos cinco famílias querendo adotar.

Mas o perfil desejado pelos futuros pais ainda é muito restrito. No país, 29% das famílias almejam adotar somente meninas e quase 70% delas não desejam ficar com os irmãos. Meninos pardos e com idades entre oito e 17 anos,são os que acabam ficando mais tempo em abrigos. Além disso, 69% dos casais só aceitam crianças sem doenças. 

Dados do Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Acolhidos indicam ainda que, no Brasil, há cerca de 5.500 crianças para adoção e pelo menos 30 mil famílias na lista de espera.  Nos abrigos já são contabilizadas mais de 44 mil crianças e adolescentes. Os números refletem que a burocracia dos processos ainda é lenta.

Tudo começa quando a criança entra no abrigo. Estar lá não significa que ela vai estar disponível para a adoção imediatamente. Primeiro, existe o processo de tentar reintegrá-la à família biológica, seja através dos pais ou outros parentes. Apenas esse processo dura cerca de dois anos.

Na prática, porém, o prazo raramente é cumprido. Muitas crianças acabam crescendo dentro dos abrigos e só ficam disponíveis para adoção em último caso. Concomitantemente, as famílias que desejam adotar precisam apresentar uma série de documentos, fazer uma petição de inscrição e participar de um curso de preparação psicossocial.

A restrição no perfil das crianças a serem adotadas e a demora nos processos se reflete nas estatísticas. Segundo os dados da Corregedoria Nacional de Justiça, foram concretizadas apenas 252 adoções em 2016.

Processo de adoção de Giovanna Ewbank

O pedido de adoção de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank aconteceu no ano passado, quando eles viajaram à África junto de uma ONG, da qual a repórter se tornou embaixatriz, para levar donativos às crianças carentes. Neste ano, eles receberam a permissão para adotar Titi.

Nos últimos meses, Bruno e Gio viajaram várias vezes para Malawi, no sul da África, para acompanhar o processo. Tudo foi mantido em sigilo. Até agora, o casal não se manifestou abertamente sobre a adoção, mas a imagem compartilhada no Instagram deixou claro: há uma nova integrante na família.

E você, já pensou em adotar? Deixe o seu comentário!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]