Qualquer doença com sintomas desconfortáveis tem impacto no dia a dia e pode prejudicar a qualidade de vida. Pior ainda se estiver relacionada à saúde íntima, como é o caso da candidíase. Causada por um fungo, a infecção se localiza nas regiões da vulva e da vagina e representa um verdadeiro inconveniente para as mulheres.

Apesar de ser pouco comentada, ela não é incomum: estima-se que ela atinge até 75% da população feminina. A doença ainda surge como tabu por ser frequentemente associada à falta de higiene, mesmo que nem sempre a causa seja esta. Na verdade, a proliferação dos fungos está muito mais relacionada à baixa imunidade.

Causas e sintomas da candidíase

Cândida albicans é o nome do fungo causador da candidíase. Em condições normais, uma pequena quantidade dele vive na região da vagina. Mas quando há um desequilíbrio no sistema imunológico, responsável por controlar a presença de tais micro-organismos, o corpo enfraquece e ocorre uma maior proliferação, ocasionando os sintomas.

Em outras palavras, um quadro de saúde debilitada aumenta as chances do problema ocorrer. Determinadas práticas que alteram a flora vaginal também podem ter relação com a candidíase, como o uso calcinhas de tecidos sintéticos e absorventes diários. O próprio anticoncepcional pode, eventualmente, desencadear a doença.

Com diversas causas possíveis, o mais importante é ter atenção aos sintomas e, diante deles, procurar um especialista que possa determinar o que está por trás da doença e as formas mais eficazes de tratamento. O problema é difícil de ignorar, já que as principais manifestações costumam ser bem desagradáveis, iniciando pela coceira intensa.

Inflamação vulvar e vaginal, secreção esbranquiçada e densa, ardor e dor durante a relação sexual são os principais sintomas da candidíase. Como se trata de uma doença auto-contagiosa, ela não será necessariamente transmitida ao parceiro através do sexo. Mas é importante evitar o compartilhamento de peças íntimas, como roupas e toalhas.  

Candidíase
Candidíase é uma infecção que causa coceira na vagina. Foto: iStock, Getty Images

Prevenção e tratamento da doença

Quando o assunto é evitar a candidíase, a melhor alternativa é procurar manter um estilo de vida saudável e ter alguns cuidados práticos no dia a dia: utilizar sabonete neutro na higiene íntima e calcinhas de algodão são boas alternativas para a prevenção. 

Ao se deparar com a candidíase, o ideal é procurar auxílio médico. Se não tratada, a doença pode causar fissuras na região vulvar e facilitar a ocorrência de doenças secundárias, como infecção urinária. O diagnóstico clínico é feito através do exame ginecológico.

O tratamento é simples e, quanto antes iniciado, melhor. Na maioria dos casos, é necessário apenas o uso de medicação oral associada a um creme vaginal antifúngico. Assim, é possível controlar os sintomas desagradáveis e recuperar o bem-estar com rapidez.

Acima de tudo, não tenha vergonha de lidar com a candidíase: lembre-se de que a maioria das mulheres também já enfrentou ou terá de enfrentar o problema alguma vez na vida.

E aí, o que achou do artigo sobre candidíase? Deixe o seu comentário!