[the_ad_group id="16401"]
Esporte > Slider Home

Atletas mostram que essa é a edição das mulheres nas Olimpíadas

Por Tatiana Barros 08/08/2016

 

Os jogos olímpicos do Rio mal começaram, mas uma coisa já podemos afirmar: essa é a edição das mulheres! Logo na abertura já tivemos uma amostra de que a participação das mulheres nas olimpíadas roubaria a cena por todos os cantos: A diva Gisele Bündchen emocionou ao passar pela maior passarela da sua vida ao som de Garota de Ipanema, Lea T. foi a primeira trans a ter destaque em uma cerimônia como essa, Karol Konka mostrou a sua mensagem sobre empoderamento feminino e a rainha do basquete Hortência foi a encarregada de entregar a tocha para Wanderlei Cordeiro de Lima. E isso tudo foi, de fato, só o começo!

Para se orgulhar: As mulheres nas Olimpíadas

Se na festa de abertura o “girl power” já deu sinal, o que dizer das competidoras que são promessas de medalhas e garantia de muito orgulho para o país? São incontáveis as mulheres que merecem todos os aplausos por carregarem nossa bandeira e, com todas as dificuldades, honram cada uma de nós.

Como toda lista, é natural que deixemos algumas importantes representantes de fora, mas para homenagear cada uma delas, selecionamos algumas que merecidamente irão atrair todos os holofotes durante esse mês histórico. Se você também não vai deixar de acompanhar a Olimpíada do Rio, confira nossa seleção:

Yane Marques

Outro destaque da abertura, a atleta do pentatlo foi a escolhida para carregar a bandeira do Brasil na cerimônia. Yane conquistou a medalhe de bronze nos Jogos de Londres em 2012 e é promessa de medalha também neste ano.

Marta

Cinco vezes eleita a melhor do mundo, a maior artilheira da história da seleção (incluindo a seleção masculina), Marta é daquelas raras pessoas que dispensam sobrenomes. Seu nome é reconhecido e aplaudido com todo mérito. A competição mal começou e só se fala nela! A artilheira e sua equipe brilhante têm reativado o amor pela seleção que estava adormecido desde a Copa do Mundo masculina e vem mostrando que este é o país do futebol: e ele tem graça, unhas bem feitas, muita força e talento!

Flávia Saraiva

Uma pequena ginasta de apenas 1,33m e 16 anos que vira uma gigante nas competições de ginástica artística. Flávia encantou o mundo ontem ao ter a terceira melhor nota na prova de trave, na competição em equipe. Essa é a primeira Olimpíada da ginasta, que promete ser o grande destaque do time brasileiro nas próximas edições. A torcida e o carinho do país ela já conquistou!

Glenda Kozlowski

A apresentadora Glenda Kozlowski não vai competir, mas é um dos destaques dessa edição dos jogos olímpicos por ser a primeira mulher a ser narradora na TV Globo. Depois de 20 anos na emissora, Glenda recebeu a missão de narrar as competições de ginástica artística, ao lado da medalhista Daiane dos Santos, que foi convidada para ser a comentarista oficial da modalidade.

Fabiana Murer

Em 2008, a atleta do salto com vara viveu um dos piores momentos da sua carreira quando seu equipamento sumiu pouco antes de competir em Pequim. Em 2012, o receio de saltar com o vento contra também a afastou da medalha. Por isso, a edição do Rio tem tamanha importância para ela, que está entre as três melhores saltadoras do mundo. Ganhar a medalha no seu país sem dúvida terá um gosto ainda mais especial!

Majlinda Kelmendi

A judoca entrou para a história ontem ao conquistar a primeira medalha de ouro olímpico para o Kosovo. Imagina o que é uma mulher ganhar uma competição assim tendo crescido em meio à Guerra, em um local que nem mesmo é reconhecido como país pela ONU?

Yusra Mardini

O nome pode não ser familiar, mas provavelmente você já ouviu falar dela nessa Olimpíada. Yusra tem uma das histórias mais emocionantes desses Jogos. A nadadora, que é refugiada da Síria, salvou a vida de diversas pessoas quando o barco em que estava parou no meio do mar Mediterrâneo, e ela e a irmã puxaram a embarcação enquanto nadavam. Uma verdadeira heroína!

Rafaela Silva

A judoca é prova da importância que é não desistir do seu sonho e acreditar no seu dom. Após ser eliminada em Londres e sofrer os piores xingamentos, Rafaela deu a volta por cima e mostrou toda sua força. Ela trouxe a primeira medalha de ouro para o Brasil nesta Olimpíada e deixou toda uma nação com lágrimas nos olhos, um orgulho imenso e uma grande vergonha em ver que por diversas vezes, tantas mulheres incríveis são desmerecidas! Pois, ela merece e MUITO!

Como dissemos, a lista é extensa e passa por todas as modalidades e por diversos países. Destacamos ainda a ginasta Rebeca Andrade, a nadadora sobrevivente do Nepal de apenas 13 anos Gaurika Singh, as jogadoras egípcias do vôlei de praia, Doaa Elgobashy e Nada Meawad, que competem usando o hijab, e todas meninas do handebol, do rúgbi, vôlei, vela, boxe, judô, futebol, taekwondo, ginástica rítmica e por aí vai…Todas mulheres de garra que nos inspiram e mostram diariamente, com muito suor, qual é o verdadeiro sexo forte!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]