Guia do Sono > Saúde > Slider Home

Como dormir bem pode ajudar a emagrecer

Por Tatiana Barros 04/01/2017

Quem nunca teve insônia e resolveu atacar a geladeira no meio da madrugada ou na manhã seguinte? Pois segundo um estudo realizado em novembro, pelos pesquisadores na universidade britânica King’s College London, revelou que as pessoas que dormem pouco costumam comer mais do que aquelas que conseguem dormir bem durante toda a noite.

Entenda como dormir bem pode afetar a sua alimentação. (Foto: Istock)

Entenda como dormir bem pode ter relação com a sua alimentação. (Foto: Istock)

Como dormir bem emagrece

Segundo a pesquisa que foi publicada no European Journal of Clinical Nutrition mostrou, quem dorme poucas horas por noite chegam a consumir uma média de 385 calorias a mais por dia, em relação às outras pessoas.

O estudo contou com 172 voluntários e os pesquisadores analisaram o que eles consumiram durante 24 horas após acordarem. Participaram dois grupos de pessoas: aquelas que dormiam apenas de 3 horas e meia a 5 horas e meia e aquelas que dormiam de 7 a 12 horas por noite.

O que os resultados mostraram é que aqueles que descansavam por menos tempo ingeriam mais alimentos gordurosos e menos proteínas durante o dia seguinte. No entanto, não houve alteração no consumo de carboidratos.

Para Gerda Pot, uma das autoras da pesquisa, o estudo é uma prova de que a ausência de sono tem relação direta com a obesidade: “A principal causa deste distúrbio é um desequilíbrio entre o consumo e a queima de calorias. Se a privação do descanso noturno afeta por muito tempo a ingestão calórica, ela pode contribuir para o ganho de peso”, explicou a especialista.

Mas qual a relação entre dormir pouco e comer muito?

Para os pesquisadores responsáveis por esse estudo, ainda não há uma explicação clara sobre por que dormir pouco afetada a forma com que nos alimentamos. Segundo eles, é possível que algumas áreas do cérebro ligadas ao sistema de recompensa sejam ativadas quando uma pessoa que dormiu pouco se encontra diante de um alimento.

No entanto, outra explicação é que quando o relógio biológico está desajustado isso afeta a regulação de hormônios ligados à saciedade e à fome. “Nossos resultados apontam o sono como um potencial terceiro fator, além da dieta e do exercício, no combate ao ganho de peso”, comenta a líder da investigação, Haya Al Khatib.

Para a cientista, é preciso que sejam realizados mais estudos que busquem analisar os efeitos a longo prazo que o hábito de dormir mal pode causar na saúde e na tendência à obesidade.

De qualquer forma, é preciso ter em mente desde já que dormir mal bem afeta diretamente a saúde e a qualidade de vida da pessoa. Por isso, não abra mão de uma boa noite de sono! E para saber mais sobre saúde, não deixe de acompanhar o nosso site!


Sites parceiros