Outro dia eu estava observando um menino andando de skate. Ele caia, levantava, caia de novo, levantava de novo. Se arranhava, se machucava, errava a manobra por várias vezes e começa tudo de novo, como se fosse a primeira vez. Incansável. E o melhor, se divertia com isso. Recomeçava suas manobras várias vezes até acertar, e continuava tentando mesmo quando permanecia não acertando. Fiquei pensando: “assim é a vida…! Cair, levantar, recomeçar, continuar, cair outra vez, levantar, recomeçar, continuar… ufa! Cansa só de ouvir… mas esse é o script, esse é o mecanismo. Não há outro. Neste artigo vamos aprender a dar a volta por cima após uma situação difícil. Sim, é possível!

 

 

É impossível o triunfo sem a perda

No trailer do filme Senhor dos Anéis o final é uma frase: “É impossível o triunfo sem a perda.” Parece até frase de para xoque de caminhão. Mas na realidade do cotidiano, isso é uma grande verdade. Quando vamos ao circo e observamos os palhaços, podemos ver neles a incrível arte de rir de suas “perdas”, de seus tombos, de seus escorregões. E o palhaço está no meio de um monte de artista brilhante, um voa no trapézio, outro dança, outro faz mágicas inacreditáveis, todos com seu respectivo brilho e sucesso. E o palhaço caindo, tropeçando, escorregando e dando risada. Temos muito o que aprender com sua arte. Nem sempre estamos no trapézio voando. Nem sempre temos um coelho pra tirar da cartola. Nem sempre temos uma coreografia perfeita pra dançar sem errar. As vezes estamos mesmo é tropeçando e caindo. Podemos fazer como o menino do skate, levantar, começar de novo, continuar, insistir. Ou talvez como o palhaço, dar risada, achar graça dos nossos escorregões e levantar pra escorregar de novo. Seja o menino, seja o palhaço, seja eu, seja você. Seja rindo, seja escorregando, seja do jeito que for, o fantástico é descobrir que a arte de viver significa continuar no palco, na pista de skate, na estrada, no picadeiro, na vida.


DEIXE UMA RESPOSTA