Todo e qualquer sentimento tem sempre algo a nos dizer, alertar, informar. Tendo também sua função fisiológica. O difícil é ouvi-los de forma adequada e entender claramente a mensagem que eles querem nos dar. O medo é um sentimento que até certo ponto muito nos ajuda, porém, quando ultrapassa certos limites ele nos paralisa e nos atrapalha.

 

Afinal, o que é o “medo”?

Medo é uma sensação que desperta um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa. Geralmente por se sentir ameaçado, seja fisiológica ou psicologicamente. Sendo o pavor a ênfase do medo. O medo é provocado pelas reações químicas do corpo e é iniciado com a descarga de adrenalina no nosso organismo, causando aceleração cardíaca e tremores. Pode também provocar atenção exagerada a tudo que ocorre ao redor. É uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental (que pode ser uma interpretação, imaginação ou crença), gerando então uma resposta de alerta no organismo. Esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica no corpo e libera hormônios do estresse (adrenalina e cortisol) preparando o indivíduo para lutar ou fugir.

 

O medo e sua função

A reação inicial que dispara uma resposta fisiológica no corpo liberando hormônios e preparando o indivíduo para lutar ou fugir é a função do medo. Se não existisse esse mecanismo não teríamos como reagir a situações de perigo. Poderíamos agir de formar desfreada, sem limites e sem temer nenhum perigo possível. Diante de um precipício poderíamos pular sem nenhuma preocupação com as consequências desse ato, morrer ou se machucar, por exemplo. Dentre outras situações de perigo iminente, também não conseguiríamos medi-las se não fosse o sentimento de medo.

 

Lidando com o medo

A função do medo tem seu sentido. Desde de a época que homem morava nas cavernas. Ele tem um propósito e colabora preparando o homem para reagir. Porém, até certo ponto é uma reação que ajuda e é muito saudável. Este sentimento perde seu sentido quando ultrapassa esse limite de saúde. Quando paralisa. Independente da situação, o medo paralisante não é saudável. É saudável sentir medo, pois ele sempre sinaliza alguma coisa, não é saudável ser paralisado pelo medo. Deixar de agir, de responder a estímulos, de viver. O medo não deve nos paralisar. Essa não é a sua função. E o que temos que nos atentar é para esse limite entre ser saudável e estar alerta ou estar paralisado diante desse sentimento.


2 Comentários

Comments are closed.

DEIXE UMA RESPOSTA