Saúde Mental

Veja dicas de como agir diante de uma pessoa cleptomaníaca

Por Redação Doutíssima 09/11/2015

Cleptomania é uma doença em que a pessoa perde o controle dos impulsos e rouba objetos para se sentir bem. Então como lidar com uma pessoa cleptomaníaca quando ela pega o que é seu ou se apropria de coisas alheias na sua frente?

Quando um amigo ou alguém da família é cleptomaníaco as relações podem tornar-se bastante complicadas. Você enfrenta e corre o risco de ficar um clima chato? Ou deixa seus pertences irem embora por causa do problema?

cleptomaniaca-doutissima-shutterstock

Tratamento é feito om terapia cognitivo-comportamental e uso de medicamentos. Foto: iStock, Getty Images

Entenda melhor a cleptomania

Cleptomania é uma doença que não tem nada a ver com uma real necessidade da pessoa por algo, como fome, pobreza ou avareza. É um problema psicológico interno que se manifesta no ato de roubar objetos para se sentir melhor.

Segundo um artigo publicado pela Escola de Medicina da Universidade de Minnesota, a impulsividade por roubar itens ocorre com mais frequência em mulheres e entre a fase final da adolescência e início da vida adulta. Ela ainda está associada com alterações bruscas de humor e outros transtornos que envolvem o controle de impulsos.

Não é conhecida a causa da doença, mas estima-se que pelo menos um terço dos acometidos também tenham depressão. Outros comportamentos compulsivos podem acompanhar a cleptomania, como o consumismo exacerbado, a participação constante em jogos de azar e o abuso de álcool e outras drogas.

Os níveis de químicos no cérebro se mostram alterados em quem sofre com esse problema. Cientistas já puderam observar que o momento que precede o roubo de um objeto é muito tenso. Assim que algo é pego, a mente é invadida por dopamina, substância que está relacionada a sensação de prazer e recompensa. E esse momento de êxtase se torna viciante.

Como lidar com uma pessoa cleptomaníaca

Os conflitos internos que levam alguém a cometer pequenos furtos de objetos totalmente desnecessários para si não são perceptíveis para as pessoas com quem convive. Por isso, lidar com o assunto é uma questão bastante delicada.

É preciso entender que o ato de roubar é apenas uma válvula de escape para sensações e sentimentos que perturbam a pessoa cleptomaníaca. É comum que ela se sinta muito envergonhada e perturbada quando é descoberta por amigos e familiares.

Por ser um problema psicológico, a doença precisa de tratamento acompanhado por um terapeuta. Incentivar a pessoa cleptomaníaca a buscar ajuda é a melhor forma de solucionar a situação e os demais problemas que ela pode estar enfrentando internamente.

Para evitar o constrangimento e o surgimento de qualquer ameaça para o relacionamento entre você e o cleptomaníaco, tente conversar em um momento de tranquilidade e em local reservado. Sugira o tratamento e ofereça-se para o que for preciso. Algumas associações e instituições de saúde oferecem grupos de apoio para os afetados pela doença e para os familiares.

O tratamento para cleptomania é feito, principalmente, com terapia cognitivo-comportamental, um estilo de trabalho da psicoterapia. Além do acompanhamento por um profissional, pode ser sugerido o uso de medicamentos.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 


Sites parceiros