Guia do Câncer > Saúde > Sem categoria

Como deixar a pele de quem faz quimioterapia menos sensível

Por Vivian Ortiz 03/10/2018

A quimioterapia é uma das principais aliadas na busca pela remissão de um câncer. Mas, apesar de aumentar as possibilidades de cura, pode causar diversos efeitos colaterais em quem está passando pela doença. Isso porque o tratamento pode ser bastante agressivo.

Mãe com câncer abraça a filha

Quimioterapia deixa a pele sensibilizada. (Foto: iStock)

Um desses problemas é o aumento da sensibilidade na pele, tornando-a mais suscetível a alergias e descamações. Também podem ocorrer mudanças na coloração do tecido e o surgimento de eczema, dermatite e acne. Todos esses fatores afetam diretamente a autoestima da pessoa.

Para minimizar efeitos do tipo, vale a pena verificar os ingredientes dos cosméticos utilizados. Por fim, outra opção é investir em uma linha específica para pacientes em tratamento, ressaltam as especialistas ouvidas pelo Fortíssima.

A cirurgiã dermatológica Juliane Viana explica que esse aumento da sensibilidade da pele acontece como resultado da quimioterapia. “Ela acaba atingindo também as células saudáveis, tornando-as mais frágeis e desidratadas, entre outros aspectos”, explica.

Atitudes cuidadosas

Com isso, rapidinho podem surgir descamações, feridas, coceiras, erupções cutâneas e o escurecimento das veias onde são aplicadas as medicações. No entanto, antes de procurar produtos para peles sensibilizadas disponíveis no mercado, é preciso rever algumas atitudes no dia a dia.

Tomar banhos quentes, coçar a pele e passar colônias e perfumes que contenham álcool em sua composição pode fragilizá-la ainda mais. Portanto, é melhor evitar. “Também é importante passar protetor solar de três a quatro vezes por dia e fazer uso de chapéus, luvas e roupas com mangas comprida”, ressalta Juliane.

Para evitar machucar a pele ainda mais, a dermatologista recomenda o uso de roupas de tecidos leves. Outro cuidado é passar a tolha devagar na hora de enxugar o corpo.

De olho nos ingredientes

Já a dermatologista Emily Alvernaz completa que, além desses cuidados, é importante que o paciente saiba escolher os produtos mais adequados no momento da compra.

“Foque nos hidratantes corporais que sejam produzidos à base de agentes calmantes e suavizantes, tais como aloe vera, calêndula e hidratantes como a glicerina, que são as melhores opções”, explica a especialista.

Também é preciso evitar ingredientes como álcool e parabeno na composição desses itens. Contudo, mesmo após essa escolha, nunca descuide dos cuidados com a pele.

“Sempre passe o gel hidratante no corpo pelo menos três vezes ao dia, especialmente no período de realização da quimioterapia e na área em torno da aplicação da radioterapia”, destaca.

Produtos especiais

É bom saber que existem marcas de produtos cujo foco é justamente a pele de pacientes oncológicos. Entre elas estão a RD-care e a Linha Reviver by Isabel Piatti.

“O diferencial é o fato de serem produzidos com ativos naturais e pouco irritantes” explica Emily. “Eles são mais apropriados para ajudar a pele sensibilizada pelos medicamentos a manter seu equilíbrio.”

Juliane lembra que também existem produtos feitos à base de manteiga de karité e esqualano, em veículos não oleosos, recomendados em casos de ressecamento intenso provocado pela quimioterapia. Um exemplo é o Creme de Corps, da marca inglesa Khiels.


Sites parceiros