Bem-Estar > Doenças

Mitos e verdades sobre o câncer de mama

Por Vivian Ortiz 30/10/2018

O câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres, de acordo com dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer). Perde apenas para o câncer de pele e corresponde a 28% de todos os casos da doença diagnosticados no Brasil.

Mitos e verdades sobre o câncer de mama . (Foto: iStock)

Não falta informação sobre o tema na internet, mas o risco de encontrar alguma que não seja confiável é grande. Por exemplo, será que usar desodorante, sutiã apertado e prótese de silicone podem aumentar as chances de desenvolver a doença?

Neste Outubro Rosa, o Fortíssima conversou com o mastologista (médico especialista em mamas) Joaquim Teodoro de Araújo Neto, coordenador do Centro de Estudos do Instituto do IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer). Confira as respostas!

O consumo de soja aumenta (ou diminui) as chances de ter câncer de mama?
MITO. A soja contém isoflavona, um tipo de hormônio parecido com o estrogênio, responsável pelas características femininas. As pesquisas com isoflavona mostram que ela tem a função de estimular as células mamárias, mas que não está relacionada com o aumento de risco ou mesmo proteção quanto ao câncer de mama. Não existe nenhuma evidência científica.

Se alguém na minha família tem ou teve câncer, eu também vou desenvolver a doença?
MITO, MAS… Pessoas com parentes de primeiro grau – como mãe, irmã ou filha – que tiveram câncer de mama antes dos 50 anos de idade possuem um risco maior de ter a doença do que a população em geral. Por isso, melhor fazer um acompanhamento mais de perto. No entanto, apesar de o histórico familiar ser um fator de risco, ele não é o mais relevante.

De cada dez casos, apenas um envolve predisposição familiar. Os outros nove são causados pelo que nós chamamos de fatores ambientais, como sedentarismo, obesidade, fumo, consumo de bebidas alcoólicas em excesso, uso de pílulas anticoncepcionais e de terapia de reposição hormonal.

Desodorante antitranspirante causa câncer de mama?
MITO. Não existe nenhuma contraindicação em usar esse tipo de produto. Nem mesmo nos pacientes que já estão com câncer. Essa informação pode ter surgido porque os desodorantes teriam o poder de bloquear a drenagem linfática na região das axilas, o que supostamente aumentaria o risco. Mas não é verdade!

Sutiã apertado causa câncer?
MITO. Não existe qualquer relação. Seja um sutiã apertado, ou com alça, bojo de metal etc. Pode continuar usando tranquilamente.

Próteses de silicone aumentam o risco de ter câncer?
MITO. A prótese dificulta um pouco a realização da mamografia, mas não impede a visualização da mama pelo médico nem aumenta o risco de desenvolver a doença. Dá para colocar sem nenhum problema.

Leia mais

Câncer de mama inflamatório: Tipo raro ataca a pele
Outubro Rosa: Como prevenir o câncer de mama
Comer vegetais e legumes todos os dias pode prevenir câncer de mama, aponta estudo

Somente mulheres mais velhas têm câncer?
FALSO. De fato, quanto mais idosa, maior o risco de desenvolver a doença. A idade considerada de maior risco é entre 50 e 60 anos, faixa em que se concentram a maioria dos casos. No entanto, ela também pode aparecer em pacientes jovens. Há casos de meninas de 12 ou 13 anos que desenvolveram câncer de mama, embora seja algo raro.

Todo caroço que a mulher percebe na mama é câncer?
MITO. Muito pelo contrário, pois a maioria costuma ser lesões benignas. No entanto, um nódulo que pode ser apalpado, especialmente nas mulheres acima de 50 anos, merece uma investigação maior.

Só fazer o autoexame das mamas já é suficiente para detectar o câncer?
DEPENDE. Ele é muito importante para chamar a atenção da mulher, especialmente antes dos 40 anos, quando a mamografia ainda não faz parte dos exames rotineiros para detectar a doença. No entanto, após essa idade, é fundamental realizar a mamografia periodicamente – tanto porque o autoexame pode não detectar um nódulo, quanto porque ele pode dar um falso positivo.

* Colaborou Vanessa Zampronho


Sites parceiros