Medicina Alternativa

Quiropraxia usa as mãos para curar dor

Por Redação Doutíssima 11/01/2014

quiropraxia_ajuste2

Pequenas coisas no dia a dia contribuem para o desalinhamento da coluna. Continuamente, sentamos errado, pegamos peso, tropeçamos, caímos e, então, nossa coluna está sempre se desalinhando e causando luxações. Mas o que poucas pessoas sabem é que isso acaba interferindo no funcionamento de outros órgãos.

Quando a articulação e a musculatura não estão funcionando como deveriam, começam a inflamação e a dor. É aí que entra a quiropraxia. Segundo informações do quiropraxista Marcos Palmeira, formado pela Palmer College (EUA) e especialista em Clínica de Dor pela Unifacs, a quiropraxia é a profissão da área da saúde que lida com o diagnóstico, tratamento e a prevenção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético por meio das mãos.

A palavra é formada de dois radicais gregos, quiro (mãos) e praxis (praticar) – “praticar com as mãos”. “Hoje já existem aparelhos que também fazem essa correção, mas o ajuste é quase sempre feito com as mãos, corrigindo e reposicionando os ossos”,informou o especialista.

Seja por ficar o dia inteiro no computador, em pé no ônibus ou na fila do banco, algumas dores são o resultado do mau comportamento da articulação. Ela para de funcionar como deveria e fica travada, restrita. “As dores diárias que as pessoas costumam sentir são uma manifestação do mau funcionamento das articulações. O Complexo de subluxação gera as alterações, restrição de movimentos, desequilíbrios dos músculos e desgastes das articulações. O cérebro precisa se comunicar com os órgãos e os órgãos com o cérebro. Essa comunicação acontece através dos nervos que são os fios do corpo, mas quando há uma subluxação que provoca interferência nessa comunicação, ocasiona na alteração do funcionamento de algum órgão”, explica.

Dessa forma, mesmo que seu pâncreas ou pulmões estejam em perfeito estado, não irão funcionar como deveriam. “Não porque ele está doente, mas porque a informação que chega até ele não é uma informação completa ou correta. Por isso dizemos que a quiropraxia não cuida apenas da coluna, cuida da saúde através da coluna. Através da correção das vértebras, normalizando a função dos nervos”, ratifica.

Quiro3

O tratamento se dá através de um procedimento chamado ajuste. O realinhamento vertebral do paciente permite que as informações vindas do cérebro cheguem a qualquer parte do corposem alterações.

Diferente da medicina, o tratamento não depende da queixa do indivíduo e é igual para toda dor. De acordo com Marcos Palmeira, na graduação, há aulas de Filosofia da Quiropraxia, que ensina a tratar das desordens na saúde em geral. “Na medicina se trata o sintoma, se trata a queixa. Já na quiropraxia se trata o corpo. Você pode chegar com dor de cabeça, prisão de ventre ou dor na lombar. Meu trabalho é avaliar a coluna, encontrar subluxações e fazer a correção. Se trata de normalizar o funcionamento do corpo na questão da subluxação vertebral. Se tiver outros problemas, encaminho para outros profissionais. Mas se a dor estiver sendo provocada por uma alteração na coluna, vai desaparecer”, disse.

A equipe da Tribuna pôde presenciar uma das sessões de quiropraxia. O organizador de congresso Roberto Duran, após o tratamento, iniciou o processo de manutenção e disse ter adquirido bons resultados. “Anteriormente, fiz 60 dias de fisioterapia, mas o que está tirando minha dor mesmo é a quiropraxia. O tratamento é agressivo, mas o resultado é bem mais rápido”, desabafou.

Além dos maus hábitos de postura, acidentes e tropeços, o estresse excessivo ou a forma inadequada de lidar com ele também irão prejudicar as habilidades do corpo para sustentar suas funções normais. “Outra grande vantagem é que fazemos correções. Muitas vezes a pessoa que está com dor toma remédio, faz uma massagem, uma acupuntura, sendo que servirá apenas como um paliativo. A partir do momento que você toma um remédio, ele não vai corrigir a disfunção mecânica, ele vai apenas cortar o sinal de dor. A lesão continua no corpo e vai se agravando. É preciso investigar que disfunção está provocando aquela dor. A dor não é o problema, o problema é a disfunção. A dor nada mais é que a manifestação daquela disfunção. Claro que se a pessoa estiver com uma muita dor, deve tomar o seu remédio para não sofrer. Mas ao mesmo tempo em que cuida da dor, deve cuidar das lesões” salientou.

No Brasil, a profissão ainda não foi regulamentada e há o curso apenas em duas cidades: Rio Grande do Sul e São Paulo. “Os cursos existentes são regulamentados e têm boa avaliação no MEC. Contudo, a profissão ainda não está regulamentada. Existem dois projetos de lei, um pela Câmara dos Deputados e outro pelo Senado, que visam regulamentar a profissão. Mas a grande dificuldade da regulamentação vem por conta de um combate do Conselho de Fisioterapia que quer fazer da quiropraxia uma especialidade da fisioterapia, coisa que não acontece em nenhum lugar no mundo”, informa. Durante o tratamento, são feitas de 10 a 15 sessões. Mas para manter a coluna bem alinhada, é orientado que se faça pelo resto da vida. Na quiropraxia as sessões devem ser feitas quatro vezes por ano, assim como vamos ao dentista duas vezes por ano cuidar dos dentes. Salvador tem cerca de 5 clínicas de quiropraxia, o Dr. Marcos Palmeira chega a atender cerca de 20 pessoas por dia.


Sites parceiros