Filhos

Cuidados com os genitais da sua filha

Por Redação Doutíssima 16/01/2014

banho-de-bebe

Manter a região vaginal da sua filha limpa e livre de irritações é a melhor maneira de prevenir infecções na sua menina.

Você pode fazer isso da seguinte maneira:

  1. Sempre limpe a sua filha da parte da frente para trás ao trocar a fralda ou depois que ela usar o banheiro. Ensine-a a fazer o mesmo enquanto você a prepara para assumir sozinha essa tarefa. Se ela ainda usar fraldas, pode ser necessário abrir os lábios da vagina para limpá-los depois de uma evacuação um pouco mais intensa.
  2. Troque as fraldas assim que elas ficarem molhadas ou sujas.
  3. Se ela já não usa mais fraldas, coloque em sua filha apenas calcinhas 100% algodão, para minimizar a transpiração e maximizar a ventilação na área.
  4. Evite banhos de espuma, óleos de banho, perfumes, sabonetes ásperos e lenços umedecidos que contenham álcool e/ou perfumes, que podem desencadear uma reação alérgica ou irritar ou “queimar” a vagina, predispondo sua filha para a infecções do trato urinário ou vaginais. Após o banho, enxágue o corpo de sua filha em água fresca. Lave a região vaginal com o chuveirinho, um pequeno regador ou um pano úmido.
  5. Lave o cabelo de sua filha ao final do banho para que ela não se sente sobre a espuma do xampu, que é potencialmente irritante. Deixe-a em pé enquanto a água escoa, enxágue o cabelo dela com o chuveiro, chuveirinho, regador ou copo plástico. Como alternativa, você pode lavar o cabelo dela na pia.

Problemas mais comuns nos genitais das meninas

  • Vulvovaginite/vaginite.

O que é isso? Uma inflamação da vagina e/ou da vulva (órgãos genitais femininos externos).

Quem é suscetível? Qualquer mulher, de qualquer idade.

Sinais e sintomas. Prurido vaginal, corrimento vaginal mal cheiroso e, ocasionalmente, manchas ou sangramento vaginal (quando a inflamação irrita a delicada mucosa vaginal).

Causas: irritação (devido à água do banho, fraldas molhadas, algum objeto inserido, detergentes agressivos ou sabonete), o que faz com que o revestimento da vagina fique susceptível a uma variedade de organismos infecciosos, tais como candida.

Tratamento: É necessária uma consulta com o médico; certifique-se de marcar no mesmo se houver qualquer sangramento. O médico, provavelmente, irá fazer um exame e uma cultura da área. Dependendo dos resultados, pode ser prescrita uma medicação de uso tópico e/ou oral. Se a infecção tiver sido causada por um corpo estranho inserido dentro da vagina, ele será removido. O médico deve advertir a criança para não colocar nenhum objeto em sua vagina, nem deixar que ninguém coloque nada dentro dela.

  • Aderências Vaginais (labiais).

O que é isso? Uma condição em que os lábios irritados ficam grudados.

Quem é suscetível? Bebês e meninas jovens, porque elas não produzem estrogênio.

Sinais e sintomas. Os pequenos lábios (os lábios internos dos órgãos genitais femininos externos) aderem uns aos outras e, em casos graves, pode haver dificuldade em urinar.

Causas: Uma irritação por causa da urina ou da transpiração deixa os lábios em carne viva; as superfícies em carne viva, então, ficam grudadas.

Tratamento: Se os lábios puderem ser separados, a criança for capaz de urinar, e não houver dor, as aderências não são motivo de preocupação; no entanto, o médico, provavelmente, irá prescrever um creme de estrogênio para promover a cicatrização dos lábios. Em casos mais complicados, o creme pode ter de ser aplicado durante um período de tempo, e os lábios devem ser separados apenas gradualmente. Ocasionalmente, os lábios devem ser separados pelo médico com um instrumento especial. O tratamento é importante, uma vez que a incapacidade de urinar ou um acúmulo de urina sob os lábios pode levar a um aumento de infecções do trato urinário. Algumas meninas continuam a desenvolver adesões até a puberdade, quando a produção de estrogênio é iniciada.

Prevenção: mantenha seca a região vaginal; não deixe que uma criança usando fraldas fique molhada por muito tempo, evite calcinhas e calças ou meias sintéticas para ajudar a prevenir a reincidência.


Sites parceiros