Saúde Mental

5 razões para buscar auxílio da psicopedagogia ao seu filho

Por Redação Doutíssima 08/11/2014

A psicopedagogia é uma área de estudos que trabalha com os processos e as dificuldades de aprendizagem das crianças, adolescente e também dos adultos. O profissional desse campo identifica os problemas para aprender que dificultam o processo de assimilação de ideias, informações e conteúdos escolares.

psicopedagogia

Orientação ajuda a criança nas tarefas de aula e na vida. Foto: iStock, Getty Images

Misturando pedagogia, psicanálise, psicologia e antropologia, o psicopedagogo observa o comportamento das pessoas para avaliar sua aprendizagem. Geralmente, o profissional atua institucionalmente ou em clínicas próprias.

Psicopedagogia: como procurar

No primeiro caso, dentro da escola, o trabalho psicopedagógico funciona para auxiliar em situações de evasão ou baixo rendimento do aluno.

Quando em hospitais, pacientes que recorrem à psicopedagogia recebem acompanhamento para tratamento de casos como dificuldade de aprendizagem, déficit de atenção, dislexia, hiperatividade, discalculia, dislalia e disortografia.

Transtornos tratados pela psicopedagogia

1. Dificuldade de aprendizagem

O que torna difícil o aprendizado de uma criança são fatores externos. Nesse caso, a dificuldade de aprendizagem difere dos transtornos, já que estes estão relacionados a fatores neurológicos, químicos, hereditários e específicos da pessoa.

A aprendizagem é dificultada por processos que interferem no modo de aprender dos alunos, e estão relacionados com metodologias de ensino na escola, falta de assimilação do conteúdo ministrado pelo professor e influências dos amigos e colegas.

2. Déficit de atenção

Crianças distraídas, que não conseguem prestar muita atenção na aula, não ficam muito tempo parados em um só lugar, movimentam-se o tempo todo e divagam sobre vários assuntos sem manter uma linha de raciocínio, podem estar sofrendo com o déficit de atenção.

A psicopedagogia funciona para trabalhar com a criança maneiras estimulantes de controlar o problema.

3. Hiperatividade

Aquelas que vivem esbarrando em móveis e pessoas, falam alto, não conseguem parar quietas, têm dificuldade em realizar atividades manuais ou exercícios da escola sem interrompê-las são as crianças hiperativas. Elas interrompem o professor a todo o momento e, em casa, não conseguem se concentrar.

O psicopedagogo auxilia essas crianças a encontrarem soluções para reduzir os sintomas da hiperatividade e recomenda atividades que podem ser feitas pelos pais em casa para melhorar o comportamento e rendimento.

4. Dislexia

A criança disléxica não é preguiçosa, não tem falta de atenção nem teve uma má alfabetização. Não sendo considerada uma doença, a dislexia é um distúrbio genético e neurobiológico que desorganiza o processamento de informações.

Assim, a compreensão e o entendimento das letras dificultam a leitura e a assimilação de símbolos gráficos, sons e palavras. Na psicopedagogia, os profissionais auxiliam o disléxico a conviver com o distúrbio através de um acompanhamento constante.

5. Discalculia, dislalia e disortografia

A discalculia é o transtorno que dificulta a aprendizagem que envolve números e operações matemáticas. A dislalia diz respeito ao problema de articulação da fala, quando a criança não consegue pronunciar ou compreender fonemas. Já a disortografia é o problema em aprender e desenvolver a linguagem escrita.

Todos esses problemas podem ser tratados e acompanhados pela psicopedagogia, que procura entender os processos de aprendizagem e trabalha para tornar mais satisfatórios os resultados insuficientes na escola, no trabalho e na vida.

 

 


Sites parceiros