[the_ad_group id="16401"]
Saúde Mental

Estupro : conheça os efeitos psicológicos

Por Redação Doutíssima 30/12/2014

Recentemente, vimos na mídia algumas alegações sobre um deputado federal, que revoltaram nossa sociedade. O  mesmo que já teve muita repercussão por ter feito afirmações preconceituosas sobre a homossexualidade e bissexualidade,  foi denunciado pela vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko ao Ministério Público por “Incitar publicamente a prática do crime de estupro” ao  afirmar em uma sessão da Câmara que não estupraria a deputada Maria do Rosário, simplesmente porque ela não merecia. A insinuação foi  considerada absurda e inconsequente, pois dá conotação de que um homem pode realizar este tipo de crueldade contra uma mulher.

 

estupro

A cada dez minutos uma pessoa é vítima de estupro no Brasil

 

psicólogo e escritor Alexandre Bez explica como esse tipo de atitude afeta psicologicamente a sociedade. “O estupro não é sexo, e sim uma violência, gerada por uma psicopatologia sexual incurável. É uma ação motivada por uma perversão sexual, a tara. Usualmente quem pratica este tipo de crime são pessoas impotentes que não conseguem chegar ao prazer pelas vias de uma relação sexual normal”, afirma o psicólogo.

 

Ao cometer um ato desses ou incitar algo do gênero, contribuímos para um crime que psicologicamente e fisicamente dilacera a mulher.  “O ato sexual não consentido muitas vezes  bloqueia o comportamento sexual da mulher, deixando-a em um estado de medo e apreensão constante. Outros sentimentos como nojo, culpa e vergonha também são despertados”, conclui o especialista.

 

Segundo dados rescentes de um levantamento feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a cada dez minutos uma pessoa foi vítima de estupro no Brasil em 2013. Para os pesquisadores, apenas 35% dos crimes dessa natureza são oficialmente relatados. Esse número pode ser ainda muito maior, já que por medo, vergonha, ou até mesmo, por falta de compreensão da família, muitas vítimas não denunciam.  

 

O estupro é considerado um crime hediondo. A pena no Brasil é de 6 a 10 anos de reclusão para o criminoso, aumentando para 8 a 12 anos se há lesão corporal da vítima ou se a vítima possui entre 14 a 18 anos de idade, e para 12 a 30 anos, se a conduta resulta em morte.

 

Segundo especialistas, a violência sexual é também prejudicial à saúde por aumentar a incidência de uma variedade de comportamentos negativos, entre eles o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas e drogas. Os efeitos do abuso podem persistir durante muito mais tempo, mesmo depois que o abuso tenha cessado. Quanto mais grave o abuso, mais grave é seu impacto sobre a saúde física e mental das vítimas.

 

Veja alguns dos danos que podem ser causados nas vítimas deste tipo de crime:

 

– Falta de concentração

 

– Transtornos de ansiedade

 

– Insônia

 

– Transtornos alimentares

 

– Perda de memória (o que possibilita não reviver o trauma)

 

– Exclusão da vida social

 

– Possíveis tentativas de suicídio

 

O que fazer em caso de estupro

 

A vítima deverá procurar imediatamente uma delegacia, preferencialmente a delegacia de defesa da mulher para registrar a ocorrência. A ocorrência é fundamental para que a polícia tenha informações, pois geralmente o estuprador não age apenas uma vez. Outro ponto importante é o fato de que a legislação brasileira permite o aborto legal em casos de gravidez causada por violação sexual. A vítima só poderá entrar com o pedido na justiça com o boletim de ocorrência e com a comprovação legal do ocorrido.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]