[the_ad_group id="16401"]
Qualidade de vida

Saiba como deve ser o tratamento para ansiedade

Por Redação Doutíssima 16/06/2015

Se pensarmos em uma forma de tratamento para ansiedade, terapeutas indicariam, antes de tudo, o autoconhecimento. Mas devemos reconhecer que não se trata de um caminho fácil. Não há receita pronta, pode variar de acordo com a pessoa e com o grau de ansiedade que lhe atinge, e que nem sempre indica um problema.

De acordo com a psicóloga Madalena Lauschner, a ansiedade pode ser encarada como algo bom, positivo, quando sinaliza alguma coisa que está por vir e permite um “preparo”. Assim, estar ansioso nem sempre vai ser ruim, a não ser que isso deixe a pessoa em situação de desconforto e sofrimento.

tratamento para ansiedade

As pessoas ansiosas tendem a sofrer com as situações mais simples do dia a dia. Foto: iStock, Getty Images

Segundo a psicóloga, há quem atinja um nível tão alto de ansiedade que entra em pânico, e não consegue mais se conectar com a realidade e com as diferentes possibilidades. Nesses casos, o tratamento para ansiedade é a alternativa mais próxima. “Psicólogos e psiquiatras estão aí com suas expertises, para os casos mais graves”, diz.

Tratamento para ansiedade e o mundo real

Quando se fala em tratamento para ansiedade, não há um molde que pode ser seguido por todas as pessoas. É aí que Madalena volta a falar da importância do autoconhecimento. Há grandes diferenças de uma pessoa para outra, algumas são naturalmente calmas, outras parece que já nascem cercadas pela insatisfação.

E são essas, as insatisfeitas, as que mais correm riscos de serem ansiosas, ou seja, que terão dificuldades na vida com coisas desde as mais simples, como esperar o sinal abrir, até aguardar a resposta de uma entrevista de emprego, por exemplo.

Essas pessoas, de acordo com Madalena, querem que o mundo ande no seu ritmo, atropelam, correm para saber mais e chegar antes.

O lado positivo de tudo isso é saber que o quadro ansioso pode ser tratado e, mais importante, evitado. Mas é preciso entrar no mundo real, a pessoa precisa conhecer suas possibilidades e limitações. E pode ser desagradável, já que haverá a necessidade de abrir mão de algumas coisas para obter outras.

“Não é possível fazer tudo ou ter tudo ao mesmo tempo como os filmes, os sonhos ou as propagandas nos sugerem. É frustrante não sermos mágicos nem super heróis. Mas ainda assim, temos poder para conduzir nossas vidas”, afirma.

Tratamento para ansiedade pode variar

O tratamento para ansiedade entre homens e mulheres pode ser um pouco distinto devido à forma como o problema se manifesta. Apesar de serem igualmente ansiosos, eles e elas têm maneiras bem diferentes de expressar esse estado. Enquanto as mulheres falam e se queixam mais, eles ficam retraídos e pouco falam. Trata-se de características sociais.

Já o tratamento para ansiedade nas crianças nem sempre ocorre nos mesmos moldes. Muitas vezes, basta a intervenção do pais que, orientados por um profissional, conseguem dissolver os medos que são, na maior parte das vezes, as causas da ansiedade nos pequenos.

Os pequenos podem ser ajudados, mas precisam de adultos dispostos a ajudá-los a aprender sobre a realidade. O importante é compreender o funcionamento do mundo, fazer suas coisas, desenhar, arrumar brinquedo e seu quarto, enfim, executar tarefas e se sentir capaz  de realizá-las e ficar feliz por isso.

“Aprender a tolerar frustrações nos deixa mais fortes psicologicamente, nos deixa mais espertos para lidar com o futuro”, considera.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]