[the_ad_group id="16401"]
Bem-Estar > Qualidade de vida

Cirurgias para perda peso podem ser feitas por endoscopia. Saiba mais!

Por Francine Costanti 13/12/2019

O número de pessoas obesas no mundo cresce a cada ano. Segundo dados divulgados em 2018 pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a previsão é de que cerca de 2,3 bilhões de indivíduos estejam acima do peso em 2025.

Em alguns casos, a obesidade faz com que se recorra a uma cirurgia de redução de estômago. Mas você sabia que, com o avanço das técnicas, já é possível realizar esse procedimento por meio de endoscopia? Hoje, há dois tipos de cirurgia que se utilizam desse método: a gastroplastia endoscópica e a cirurgia com balão intragástrico, técnicas menos invasivas e que reduzem o estômago sem que sejam feitos cortes, como ocorre na cirurgia bariátrica. 

Gastroplastia endoscópica

Nessa técnica, o endoscópio (tubo provido de sistema de iluminação para realizar endoscopia) entra pela garganta até chegar ao estômago para realizar a sua redução por meio de sutura. O órgão reduz substancialmente o seu volume e capacidade de distensão. Por outro lado, o procedimento distende o fundo do estômago, levando à saciedade e diminuindo, dessa maneira, a ingestão de alimentos.

Segundo Eduardo Grecco, gastrocirurgião e endoscopista do Instituto Endovitta, a cirurgia dura cerca de uma hora e geralmente não é necessário que o paciente fique internado: ele pode ser liberado no mesmo dia ou no dia seguinte.   

O procedimento promete reduzir o peso atual entre 15% e 20% (o peso estabiliza entre 18 e 24 meses depois). Segundo o médico, cerca de 80% dos pacientes acompanhados por dois anos tem bons resultados. Mas em alguns, com o passar do tempo, a costura pode lacear, ficando frouxa e permitindo ao estômago voltar ao seu tamanho anterior. Nesses casos, a cirurgia pode ser repetida. 

Você tem vontade de reduzir o estômago? Saiba para quem é indicada a cirurgia bariátrica 

Logo após a gastroplastia, os sintomas são dor abdominal e náusea de moderada intensidade nas primeiras horas. Assim como na bariátrica convencional, é preciso fazer uma dieta líquida nos primeiros sete a 10 dias após o procedimento. Depois desse período, a dieta passa a ser pastosa até que todos os alimentos sejam liberados – em pequena quantidade e visando uma dieta saudável, é claro.

A gastroplastia endoscópica é indicada para quem tem sobrepeso (obesidade grau I e II e que não tem indicação para fazer bariátrica). Além disso, o paciente deve estar com 30 a 40 de IMC (calculado dividindo o peso em quilos pela altura ao quadrado em metros).           

Mulher na balança

Já existem técnicas menos invasivas e que reduzem o estômago sem que sejam feitos cortes. Foto: iStock

                                                       

Cirurgia com balão intragástrico

Outra forma de perder peso com a cirurgia de emagrecimento é colocando um balão intragástrico (feito de silicone e geralmente ajustável ao tamanho do estômago do paciente) no estômago através de uma endoscopia digestiva. Por este equipamento, o médico acompanha o posicionamento e enchimento do balão com soro fisiológico (entre 400 ml e 700 ml) e corante azul de metileno.

Na rara eventualidade de o balão se romper, o corante é absorvido pelo intestino e a urina sai verde (resultado da mistura do azul do balão com o amarelo da urina). Nestes casos, o balão precisa ser retirado em ambulatório.

O balão dá a sensação de estômago cheio e a pessoa come menos. É indicada para quem tem sobrepeso e precisa perder pouco peso. “Geralmente são pessoas com um objetivo bem definido que ganharam peso por um determinado motivo (gravidez, por exemplo) e precisam de um incentivo para voltar a ter uma vida saudável com atividade física e boa alimentação”, conta o médico. 

A cirurgia com balão intragástrico é um procedimento temporário que dura de 6 a 12 meses. É fundamental uma reeducação neste período para garantir a manutenção do peso após retirada do balão. O procedimento tem duração de 1 hora e promete reduzir o peso do paciente em 10 a 15%. Como na gastroplastia endoscópica, o paciente também é liberado no mesmo dia. 

Antes de se submeter a uma cirurgia de redução de estômago – qualquer que seja a técnica usada – o paciente deve obrigatoriamente passar por avaliação psicológica e nutricional, realizar toda uma bateria de exames e fazer uma avaliação cardiológica. 

Alimentação balanceada favorece emagrecimento saudável

Novos hábitos após a cirurgia de redução de estômago

Em ambos os métodos, o emagrecimento vai depender da adaptação do paciente e também da idade, sexo, atividade metabólica e atividade física. “Não basta apenas de realizar o procedimento. Para perder peso e manter a forma é preciso um conjunto de ações saudáveis”, explica Eduardo Grecco. Para ser bem-sucedido, é preciso mudar os hábitos – o que inclui fazer uma reeducação alimentar e sair do sedentarismo.

“A obesidade é uma doença crônica e incurável, mas que pode ser controlada. Depois que paciente emagrece o importante é que ele consiga se manter no peso. Emagrecer é só o primeiro objetivo – é importante se manter magro. Esses métodos são ferramentas para o paciente emagrecer e depois, com melhora da autoestima, voltar a ter uma dieta saudável”, completa o médico.


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]