[the_ad_group id="16403"]
Sintomas de Gravidez

Saiba o que fazer para aliviar a cólica na gravidez

Por Redação Doutíssima 24/06/2015

A gestação costuma ser uma fase de intensas descobertas e emoções, mas também é um período de medos e receios. Qualquer sintoma ou sinal, muitas vezes, deixa as futuras mamães e seus familiares tensos diante da possibilidade de problemas. A cólica na gravidez pode ser um desses sinais bem duvidosos.

 

O que significa a cólica na gravidez

Conforme o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli, é normal sentir cólica na gravidez, durante toda a gestação inclusive. Isso acontece pelo fato de o útero estar em crescimento, assim comprime os órgãos, que precisam se adaptar e se realojar dentro do abdômen.

colica na gravidez

As cólicas durante a gestação são normais e ocorrem por causa do crescimento do útero. Foto: Shutterstock

“Consequentemente, isso causa um desconforto. Lembrando também que o útero é um músculo. Toda vez que um músculo recebe um estímulo, por exemplo, o movimento do bebê, ele acaba respondendo com uma pequena contração que a mulher sente como sendo uma pequena cólica”, explica o médico.

Quando a cólica na gravidez merece mais atenção

De acordo com Mantelli, a futura mamãe deve se preocupar com a cólica na gravidez quando ela se apresentar de forma muito intensa, constante. “Se for uma cólica que não passa nunca, em momento algum, aí sim, é preciso buscar ajuda médica, procurar o seu obstetra”, comenta.

Apesar de ser normal, a cólica na gravidez não precisa ser algo que a mulher tolere sem fazer nada para amenizá-la. Segundo o médico ginecologista, banhos quentes são ótimos para aliviar as cólicas.

 

Ele ainda sugere trabalhos voltados à meditação e ao relaxamento. “Se for necessário, pode fazer uso de medicamentos, devidamente orientada por seu obstetra”, afirma.

Além disso, se a gestação estiver controlada, é possível incluir atividades físicas leves na rotina da futura mamãe. A yoga é uma ótima opção. Conforme informações da Mayo Clinic, a prática ajuda a relaxar, a melhorar a respiração e a evitar dores. Consequentemente, a qualidade de vida da mulher também melhora.

 

Alguns especialistas ainda aconselham mudanças na alimentação da mulher grávida, pois o que ela come interfere diretamente na gestação e pode causar desconfortos. Assim, evitar alimentos que causem gases é importante para não potencializar as cólicas.

Evite os itens que promovem os gases como brócolis, repolho e feijão e abra espaço para coisas mais leves. Além disso, a ingestão de água é fundamental, tanto para o bebê quanto para a mãe.

Ao final da gestação, de acordo com Mantelli, é possível que a mulher ainda sinta as dores provenientes da cólica. Por isso, pode ser comum que a mamãe confunda cólica na gravidez com as contrações que anunciam a chegada do bebê.

Segundo o médico obstetra, a diferença é que as contrações são bem mais intensas, bem mais fortes. “O útero contrai e fica contraído durante 30, 40 segundos e depois relaxa. A cólica geralmente é bem mais leve, é apenas um desconforto”, sinaliza Mantelli.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]