Por mais que seja menos recorrente do que a masculina, a calvície feminina é um problema que representa transtornos de saúde e gera problemas de autoestima. Em uma sociedade que está acostumada com mulheres exibindo diversos tipos de cabelo, apresentar falhas no couro cabeludo nem sempre é uma situação fácil de enfrentar.

Conforme informações da Sociedade Brasileira do Cabelo, 5% das mulheres brasileiras sofrem com a calvície. O importante, ao lidar com a condição, é conhecer as causas e saber que há, sim, tratamento para o problema.

calvicie feminina
Mudanças hormonais e doenças de pele podem causar perda de cabelo em mulheres. Foto: iStock, Getty Images

 

Calvície feminina tem mais de uma causa

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a calvície feminina não ocorre da mesma forma que masculina. Enquanto nos homens é comum que o topo da cabeça vá perdendo cabelos até que o couro cabeludo fique à mostra, nas mulheres a queda é mais difusa.

Genética, mudanças hormonais, doenças autoimunes, doenças de pele, deficiências vitamínicas e o envelhecimento natural podem causar a perda de cabelo além das quantidades normais. Além disso, tratamentos como quimioterapia e radioterapia também causam a calvície feminina, mas essas são temporárias.

Independente da causa, os primeiros sintomas , segundo o guia de saúde do New York Times, são a queda frequente de cabelos e a diminuição da quantidade de fios. Aos poucos, partes do couro cabeludo vão ficando mais aparentes entre as mechas.

Para identificar a causa da calvície feminina em pacientes com perda de cabelo, médicos devem avaliar o histórico da família para saber se há a predisposição genética. Sinais como crescimento de pelos em outras partes do corpo e mudanças no ciclo menstrual podem apontar as mudanças hormonais como fator que desencadeou a perda de cabelos.

Quando essas possibilidades são excluídas, deve ser feito um exame de sangue ou da pele para identificar problemas nutricionais ou autoimunes. Os fios de cabelo também podem ser submetidos a um microscópio para observar se há alterações nas fibras.

Calvície feminina tem tratamento

Com o diagnóstico correto, um médico pode recomendar medicamentos tópicos ou comprimidos para tratar a causa da calvície feminina. Mas em alguns casos, a medicação apenas impede a perda contínua e não regenera os fios perdidos antes do início do tratamento.

Esse fato reforça a necessidade de procura imediata de um médico ao perceber que os cabelos parecem menos numerosos. Mesmo pacientes que já têm falhas no couro cabeludo não precisam se desesperar: o transplante é um método usado para disfarçar a calvície.

Uma publicação da Harvard Medical School explica que a técnica consiste em retirar um pedaço pequeno do couro cabeludo saudável e dividi-lo em em centenas de minúsculos implantes, cada um contendo alguns fios de cabelo. Depois, cada pequena parte é “plantada” nas áreas com poucos ou nenhum fio.

Após a implantação, os folículos novos vão perder seus fios em duas ou três semanas. Quatro meses após a cirurgia, os fios começam a crescer normalmente no local do implante, cobrindo a área calva.


DEIXE UMA RESPOSTA