Em cada parte do mundo há danças e músicas que representam um pouco da história e cultura de determinado povo. O bhangra é um dos ritmos mais tradicionais em países como Índia e Paquistão. Além disso, essa batida envolvente já serviu de inspiração até mesmo para um dos maiores ícones da música atual.

 

Origem do ritmo

Essa é uma forma animada de música e dança que se originou na região de Punjab, no sudeste da Ásia. Muitas letras refletem a história longa e por vezes tumultuada desse povo. Ela é tradicional e indispensável em diversas ocasiões, desde celebrações do festival da colheita até casamentos e festas de ano novo.

bhangra istock getty images doutissima
Bhangra se originou na região de Punjab, no sudeste da Ásia, e se dissipou pelo mundo. Foto: iStock, Getty Images

Com a subdivisão da Índia em diferentes regiões, começou um movimento de mistura e interação das diferentes formas de bhangra. Como resultado, esse gênero também foi incorporado à indústria cinematográfica daquela região – Bollywood.

 

Em sua forma mais pura, trata-se de uma mistura de canto acompanhado de música e ritmo de um único tambor conhecido como dhol. As letras são sempre cantadas na língua punjabi e geralmente dizem respeito a questões sociais ou culturais – casamentos, amor ao dinheiro e à dança ou simplesmente embriaguez, por exemplo.

 

Além disso, o gênero incorpora uma série de formas de danças tradicionais da região, como jhumar, luddi, giddha, juli, daankara, dhama, saami, kikli e gatka. Os bailarinos cantam o refrão enquanto dançam ao redor do tambor, responsável por definir a batida original.

 

Hoje em dia as influências do bhangra têm ultrapassado fronteiras e se inserido em outras culturas. Ele tem experimentado um aumento de popularidade ao redor do mundo, tanto na sua forma mais tradicional quanto como misturado com outros gêneros musicais – hip-hop, house e reggae, por exemplo.

 

Celebridades se rendem ao bhangra

Esse estilo musical é muito envolvente e já se tornou a batida queridinha de diversas celebridades. Uma delas é a cantora Beyoncé, que inclusive incorporou o som em uma de suas músicas. Não bastasse isso, o ritmo invadiu também o mundo fitness – a dança se tornou um treino com excelentes exercícios, disponíveis para você fazê-los em sua própria casa.

 

O Doonya é uma modalidade que combina estilos de dança bhangra com exercícios de cardio em um treino disponível em DVD para pessoas de alta energia. Os instrutores costumam afirmar que uma rotina de 45 minutos com esse método é capaz de queimar até 600 calorias – ou seja, não se trata apenas de diversão. Para você ter uma ideia, isso equivale a estar em esteira, elíptico ou bicicleta por essa mesma quantidade de tempo.

 

As danças com objetivos fitness têm sido sucesso ao redor do mundo e não é à toa. Segundo um estudo da Universidade de Stanford, elas exigem trabalho aeróbico e assim ajudam a conquistar um menor índice de massa corporal, enquanto agachamentos e saltos pliométricos são capazes de tornar músculos mais fortes e elásticos, prevenindo lesões articulares.

 

De acordo com uma pesquisa conduzida pela Universidade de Nebraska, no caso do bhangra um dos reflexos positivos é a impulsão ao consumo de oxigênio por parte do corpo – algo que, segundo os pesquisadores, é bastante benéfico.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA