[the_ad_group id="16401"]
Estética

Pesquisas comprovam a eficácia do óleo de coco para perder peso

Por Redação Doutíssima 05/09/2014

O óleo de coco que é oriundo da fruta que lhe dá nome pode contribuir para a perda de peso, mas é preciso ser consumido com moderação. Em 2012, estudo realizado pelo Instituto de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro revelou que o produto natural ajuda a diminuir o apetite, o que o coloca como aliado das dietas de emagrecimento.

 

Óleo possui duas versões

 

Extraído diretamente do coco, o óleo de coco pode ser encontrado em duas versões: o extravirgem e o refinado. O seu sucesso se dá pela presença de gorduras na sua composição. São gorduras saturadas que fazem parte dos triglicerídeos de cadeia media, o que significa que a gordura, ao invés de acumular no nosso corpo, acaba sendo absorvida da forma correta e se tornando energia.

óleo-de-coco

Consumo moderado do óleo de coco ajuda na sensação de saciedade e emagrece. Foto: Shutterstock

Conheça os principais benefícios do óleo de coco

 

Emagrece

 

Como mencionado, as gorduras do óleo de coco tendem a se tornar energia e não acumular. Além disso, elas colaboram para que o metabolismo do organismo trabalhe de forma adequada, resultando na perda de peso.

 

Promove saciedade

 

Este benefício também pode ter como reflexo a perda de peso. Os hormônios que estão na composição do óleo causam a saciedade na pessoa. O resultado é que nas próximas refeições do dia, você deverá sentir menos fome.

 

Amigo da beleza

 

O envelhecimento da pele e a sua elasticidade são melhorados com o uso do óleo de coco. Além disso, ele também pode ser usado na hidratação de cabelo, sempre trabalhando em conjunto aos cremes.

 

Contra a prisão de ventre

 

Um de seus principais benefícios é a melhora na digestão. Ou seja, ele colabora para que nada atrase ou dificulte a digestão. Porém, se consumido em exagero, o efeito pode ser prejudicial, causando diarreia.

 

Atenção ao consumo exagerado

 

O consumo considerado ideal desse alimento é de uma colher de sopa. Qualquer quantidade além disso, já poderá causar efeitos negativos. Se consumido em exagero, o óleo pode causar um efeito contrário ao que se espera. Quem pretendia emagrecer, poderá engordar. Isso acontece porque se estará ganhando mais energia do que gastando.

 

Já quem pretendia eliminar a prisão de ventre, pode acabar ganhando uma diarreia. É o reflexo do alimento na digestão, caso seja consumido em demasia. O colesterol, que pode ser controlado com uma quantidade ideal do óleo, em situações de exagero, pode ficar muito alto e causar problemas cardíacos.

 

Dicas para o consumo do óleo de coco

 

Você já sabe para o que ele serve e quanto deve ser usado. Mas já sabe onde usar o óleo? Veja algumas sugestões.

– O óleo em sua versão refinada pode ser usado em comidas quentes. Massas, arroz e peixes ficam saborosos na sua companhia.

– Em vitaminas, sucos e iogurtes, o óleo também pode ser adicionado. Nesse caso, o alimento deixará o seu gostinho de coco na mistura.

Não use em frituras. Primeiro porque não são comidas saudáveis e segundo porque o gosto de coco poderá ficar na fritura, o que não o deixará com um sabor legal.

Agora que você já sabe o suficiente sobre o óleo de coco, que tal colocar a mão na massa? Faça o teste, inserindo o produto em algumas comidas. Apenas tome o cuidado com a quantidade ideal.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]