[the_ad_group id="16401"]
Vitaminas

Suplemento de vitamina D pode minimizar quedas em idosos? Descubra as indicações

Por Redação Doutíssima 20/09/2014

A redução da visão e da audição estão entre os problemas físicos mais comuns decorridos do envelhecimento, mas deformidades músculo-esqueléticas, diminuição da massa muscular e alterações no equilíbrio e na mobilidade também podem ser notadas com a chegada da terceira idade. Todos esses fatores são responsáveis por aumentar o risco de queda entre os idosos e o suplemento de vitamina D é indicado como opção contra essa realidade.

Quando recorrer ao suplemento de vitamina D

A vitamina D, por meio de suas ações no intestino, rim, ossos e glândulas paratiróides, é um hormônio fundamental para a absorção do cálcio, para a mineralização dos ossos e para manter a estrutura do esqueleto saudável, prevenindo fraturas.

suplemento-de-vitamina-D

Função neuro-muscular em idosos pode ser afetada por deficiência de vitamina D. Foto: Shutterstock

A deficiência de vitamina D tem sido clinicamente relacionada a um aumento da incidência de quedas, a uma diminuição da força muscular e a uma deterioração da capacidade de equilíbrio postural e dinâmico.

A diminuição de vitamina D é natural no processo de envelhecimento, mas tem atingido níveis alarmantes. Segundo pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), 85%dos idosos que moravam em domicílio apresentaram índices baixos da vitamina. No caso dos idosos institucionalizados – residentes em casas geriátricas, por exemplo – o número subiu para 92%.

Estudiosos defendem o suplemento de vitamina D

Tem sido demonstrado, principalmente em pesquisas nos Estados Unidos e na Europa, que a associação do suplemento de vitamina D em idosos deficientes contribui para melhoria dos aspectos da função neuro-muscular, prevenindo, assim, o risco de quedas.

No entanto, estudos comprovaram que a eficácia dessa suplementação depende de uma alta dosagem. A dose diária recomendada pelos especialistas é de 700-1000 UI de vitamina D, para indivíduos com 65 anos ou mais.

Suplemento de vitamina D pode compensar baixa exposição solar

Segundo a pesquisa desenvolvida na Unifesp, o suplemento de vitamina D – mesmo que não em altas doses – deveria fazer parte do acompanhamento geriátrico para todos os idosos.

Isso acontece por que há vários outros benefícios associados ao uso de vitamina D, como a redução do risco de câncer, melhora na resposta imunológica a infecções e redução no risco de doenças autoimunes.

Quedas são problema nacional

No Brasil, um em cada três idosos cai pelo menos uma vez ao ano, estimam entidades de saúde. Entre as pessoas acima de 85 anos, a probabilidade de quedas pode ultrapassar os 50%. As consequências das quedas são particularmente nocivas e incluem fraturas, risco acentuado de novas quedas, depressão e até aumento da mortalidade.

Em metade dos casos de fratura, o idoso se torna dependente após a recuperação. Além desse fato, as quedas afetam a qualidade de vida por reduzirem a mobilidade diária e as atividades sociais e/ou recreativas.

Por tudo isso, a prevenção de quedas tornou-se um objetivo de saúde pública à medida que o grupo de população com idade avançada cresce. Em pesquisas recentes, estudiosos defenderam o suplemento de vitamina D como um fator capaz de minimizar as quedas em idosos.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]