Especialidades

Saiba mais sobre a importância do teste de esforço para a saúde cardíaca

Por Redação Doutíssima 06/11/2014

O teste de esforço, também conhecido como teste ergométrico, é um exame utilizado para avaliar amplamente o funcionamento cardiovascular. Nesse tipo de avaliação, o paciente é submetido a um esforço físico crescente em uma esteira ou bicicleta ergométrica.

A partir dali, são observados os sintomas, o funcionamento e a frequência do coração e a pressão arterial antes, durante e depois do exercício.

teste-de-esforço

Exame com bicicleta ergométrica faz parte do teste. Foto: iStock, Getty Images

A capacidade funcional cardiorrespiratória e o diagnóstico de arritmias, anormalidades na pressão das artérias e de isquemia no miocárdio são alguns dos objetivos dos médicos ao solicitarem o teste de esforço.

Além desses, avaliar o surgimento de sopros no coração, indicações de falência no ventrículo esquerdo e outros sintomas que possam decorrer desses problemas são descobertos através desse exame.

Alguns pacientes também podem realizar o teste para avaliar uma doença cardíaca já diagnosticada e para prescrição de exercícios físicos.

Limitações e contraindicações para o teste de esforço

Não podem realizar o teste ergométrico pessoas com doenças arteriais instáveis ou que estejam com o tronco da artéria coronária esquerda obstruída.

Além disso, portadores de arritmias que não são controladas, hipertensão arterial, limitações físicas ou emocionais, intoxicação de medicamentos, enfermidades graves, embolia pulmonar (bloqueio de artéria no pulmão), estenose aórtica (redução do fluxo de sangue que sai do coração), miocardite (inflamação das paredes musculares do coração) e gestantes não podem fazer o teste.

Teste de esforço requer cuidados específicos

O teste de esforço demora, em média, uma hora, dependendo do preparo e de como é feito. Após a medição da pressão e dos batimentos cardíacos do paciente em repouso, são colados vários eletrodos no tórax, nos ombros no abdome.

Esses eletrodos, depois de colocados, são ligados a um eletrocardiograma, que fará a medição necessária para realizar os exames. A pessoa começa então a caminhar na esteira por algum tempo.

A velocidade pode ir aumentando até atingir 85% da frequência cardíaca (de acordo com a idade do paciente), quando é recomendável parar o teste. Esse procedimento pode também ser realizado em uma bicicleta ergométrica, dependendo do caso e da prescrição médica.

Para realização do teste de esforço, o paciente deve vestir uma roupa como se fosse praticar alguma atividade física e não fazer nenhum tipo de exercício antes. Além disso, não deve fumar ou ingerir cafeína 2 horas antes.

Esse tipo de exame não pode ser feito em jejum, por isso recomenda-se alimentação normal também 2 horas antes. Os medicamentos que a pessoa esteja tomando somente serão suspensos de acordo com a solicitação do médico. Alguns homens também precisam fazer depilação no tórax para colagem e fixação correta dos eletrodos.

Somente um médico cardiologista pode realizar o teste ergométrico, já que é necessário traduzir os traçados eletrocardiográficos e as variáveis cardiovasculares durante o procedimento. O laudo é apresentado logo ao final do exame, constando ali todas as medidas das variáveis e as impressões médicas.

Quando utilizado para avaliar doenças cardiovasculares, o teste de esforço prevê um tratamento e estima complicações para o paciente no futuro. Atletas também costumam recorrer ao teste ergométrico para avaliar sua capacidade física e preparar um sistema de exercícios físicos de acordo com sua capacidade cardiorrespiratória. O teste é bastante seguro, com risco praticamente nulo de complicações.

 

 


Sites parceiros