[the_ad_group id="16403"]
Especialidades

Donovanose é um tipo de DST. Saiba mais!

Por Redação Doutíssima 05/01/2015

A donovanose é uma doença sexualmente transmissível (DST) que afeta tanto homens, quanto mulheres. Sua incidência é mais comum em países subdesenvolvidos, ou em desenvolvimento, principalmente nas regiões de população com mais carência socioeconômica.

Feridas são principal sintoma da donovanose

 

Também conhecida como granuloma inguinal ou venéreo, ela é causada pela bactéria Calymmatobacterium granulomatis. Seus principais sintomas são o aparecimento de feridas, caroços e sangramentos nas regiões genitais e do ânus.

donovanose

Doença se manifesta seis semanas após o contágio. Foto: iStock, Getty Images

Após a infecção, os caroços criam um aspecto de cor vermelho vivo e vão progressivamente danificando a pele em sua volta. Como as feridas são indolores, a donovanose é, na maioria das vezes, diagnosticada tardiamente, o que pode aumentar suas complicações, entre elas o risco de infecção por outras bactérias.

Os sintomas geralmente surgem em torno de seis semanas depois de o paciente contrair a doença. Contudo, o período de incubação da bactéria pode ser de seis meses a um ano.

Donavanose tem tratamento

O diagnóstico da donovanose é realizado por meio de exames laboratoriais, nos quais é feita a biopsia dos tecidos da região genital afetada. Medicamentos antibióticos são utilizados no combate a essa infecção.

O tratamento da doença pode durar semanas ou meses, e há cinco antibióticos mais usados no processo. São eles: Doxicilina, Sulfametozazol/ Trimetroprim ou Eritromicina (uso mínimo de três semanas); e Ciprofloxacina ou Tianfenicol granulado (ambos até a cura).

Em casos de feridas mais extensas e profundas pode haver a necessidade de realizar uma cirurgia para a remoção delas. Depois de finalizar o tratamento é primordial que exames sejam realizados com frequência, para a certificação de cura e evitar novas incidências da doença.

Se essa DST não for devidamente tratada, as lesões podem se espalhar pelo corpo, e atingir região como o fígado, as articulações e os ossos. Perda de peso, anemia, febre, bem como a deformação dos órgãos genitais, também são consequências da falta de tratamento da doença.

Como se prevenir

 

A principal maneira de se prevenir de doenças sexualmente transmissíveis, seja da donovanose ou de qualquer outra, é usando preservativos em todas as relações sexuais. Além da contaminação, a camisinha também ajuda a evitar uma gravidez indesejada.

Realizar o autoexame, verificando a normalidade da cor, pele e cheiro dos órgãos genitais também auxilia na descoberta de doenças. Fazer visitas periódicas ao médico é outro fator importante.

Pessoas que tenham contraindo a DST não devem ter relações sexuais até que estejam totalmente curadas. O contato íntimo com as lesões pode causar a contaminação. Caso, você tenha tido alguma relação com alguém que tenha descoberto a doença no período inferior a dois meses, procure um médico para realizar os exames e se preciso o tratamento adequado.

Por que donovanose

O primeiro caso de donovanose foi registrado em 1882, na Índia, na cidade de Madra. Vinte e três anos depois, em 1905, o médico irlandês Charles Donavan constatou a presença de microorganismos intracelulares no material coletado nas feridas, e a doença foi batizada em homenagem a ele.

A DST é mais comum em países como a África do Sul, Brasil, Caribe, Índia, Nova-Guiné, Papua e no sudeste Asiático.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]