[the_ad_group id="16401"]
Saúde Mental

Entenda como a serotonina faz bem para o organismo

Por Redação Doutíssima 14/02/2015

Considerada o hormônio do bem-estar, a serotonina é um neurotransmissor que existe naturalmente em nosso cérebro e desempenha um papel importante no sistema nervoso. Cabe a ele fazer a regulação do sono, o controle da temperatura corporal, do apetite, do humor e do alívio da dor.

serotonina

Hormônio neurotransmissor ajuda a regular o sono e a sensação de bem-estar. Foto: iStock, Getty Images

Outra função bem conhecida do hormônio é sua ação sobre o cérebro, que promove uma alteração química capaz de proporcionar uma grande sensação de alegria.

Quando as pessoas são submetidas a uma redução do nível de serotonina em seu organismo, elas têm menos capacidade de resistir à agressividade, além de ficarem mais ansiosas, terem comportamentos compulsivos e mais vulneráveis à doenças, como a depressão e também quadros de tristeza, mau humor e desânimo.

Os neurotransmissores representam os mensageiros do cérebro, sendo eles substâncias químicas que permitem que os neurônios passem sinais entre si e para outras células do corpo, o que os torna fundamentais para nossas funções vitais.

A serotonina é produzida no tronco encefálico, sendo sintetizada no intestino, que tem um canal direto com o sistema nervoso central. Por isso, é preciso ter uma boa saúde intestinal para que haja a produção adequada.

 

Sete funções da serotonina no organismo

A serotonina é responsável pela regulação do sono em nosso cérebro. Ou seja, é ela que nos deixa em alerta. Ela também é um dos neurotransmissores responsáveis pelo humor. Caso apresente uma transmissão inadequada, é natural que o indivíduo se sinta irritado, mal-humorado, ansioso, impaciente, irritadiço e propenso a chorar.  

O nível adequado ajuda a evitar casos de agressividade, já que o neurotransmissor está ligado ao controle de impulsos em nosso sistema límbico.

Ao contrário do que muitos pensam, a depressão não significa a falta em nosso organismo, mas sim que a transmissão não está tão efetiva quanto deveria.  O hormônio ainda é utilizado no tratamento da enxaqueca.  

Os remédios usados para tratar as dores influem nos receptores da serotonina, diminuindo a sua receptação. Com isso, a disponibilidade do neurotransmissor aumenta e, com ela, a disposição do indivíduo, o que faz com que as dores aliviem.

O hormônio também age na sensação de saciedade. Em níveis normais, o indivíduo se alimenta normalmente. No entanto, quando ela está baixa, as pessoas acabam abusando de doces e massas para se sentirem satisfeitas.

Porém, quando em excesso, ela atrapalha o desempenho sexual, fazendo com que a libido caia. Outro problema relacionado à baixa transmissão do hormônio em nosso cérebro é a TPM. Além dos sintomas clássicos de irritação, existe, ainda, uma relação com as cólicas. Por isto, se trata de uma substância que afeta mais as mulheres.

 

Onde encontrar a serotonina

Alimentos ricos em carboidratos, como massas, pães e doces, são os principais responsáveis pela produção do hormônio em nosso organismo. Além de estimularem a atividade cerebral e energizarem o corpo, eles aumentam a sensação de bem-estar.

Uma forma alternativa de suprir a necessidade dessa substância é consumindo alimentos com um nutriente chamado triptofano, que está presente na carne bovina e de peru, nos peixes, amendoim, banana, leites e seus derivados.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]