Uma farmacinha básica para os problemas mais recorrentes do dia a dia é item de necessidade básica. Precisar buscar medicamentos e outros produtos para sanar dores de cabeça, machucados ou cortes no momento em que eles ocorrem não é uma situação muito agradável.

Uma farmacinha doméstica deve contar com tudo o que contém um básico kit de primeiros socorros. Assim, os acidentes leves do dia a dia não criam grandes problemas e podem ser solucionados ou aliviados com rapidez.

farmacinha istock getty images doutíssima
Farmacinha deve conter tudo o que um kit básico de primeiros socorros exige. Foto: iStock, Getty Images

 

Como montar a farmacinha

Os acidentes domésticos mais comuns envolvem objetos cortantes, quedas e queimaduras. Além dessas ocasiões, desconfortos do sistema gastrointestinal, congestionamento nasal, dores de cabeça e hematomas são problemas que podem ser solucionados prontamente com um kit de primeiros socorros em casa.

Na farmacinha não podem faltar algodão, antisséptico, esparadrapo, fita especial para uso na pele, bandagens adesivas, tesoura, termômetro e pinça. No âmbito das medicações, remédio para gases e enjoo, baixar a febre, dores de cabeça ou de estômago, cólicas menstruais, relaxante muscular e antialérgico são úteis. 

Alguma pomadas e cremes também melhoram as situações adversas do ambiente doméstico. Queimaduras, hematomas, picadas de inseto e dores musculares são tratados facilmente com aplicação tópica. Ainda é aconselhado ter ao alcance alguma solução descongestionante que melhore a respiração em caso de resfriados.

Cuidados com medicamentos e automedicação

A dica mais importante sobre a manutenção dos medicamentos é mantê-los longe das crianças. Outro ponto importante de cuidado com a farmácia doméstica é observar atentamente o prazo de validade de cada produto. Jamais use ou consuma qualquer um dos itens se estiver vencido.

Um dos locais mais comuns para o armazenamento do kit de remédios e utensílios de primeiros socorros é o banheiro, porém o ambiente não é adequado para a conservação dos produtos. A umidade desse local da casa pode deterior os produtos, que devem estar em lugar seco e longe de calor e luminosidade.

 

O Ministério da Saúde alerta para o uso indiscriminado de medicamentos sem a orientação médica pelo risco de reações alérgicas e do desenvolvimento de dependência química. O hábito de consumir remédios sem a recomendação de um especialista ainda é capaz de criar no organismo uma resistência aos ativos, perdendo o efeito de cura.

Outro problema preocupante da automedicação é a intoxicação, que ocorre quando o remédio não é tomado na quantidade ou frequência certa. O uso sem orientação ainda pode ter o efeito contrário do esperado, piorando a doença ao invés de tratá-la no caso de usar o ativo errado.

A farmacinha em casa deve ser apenas para solucionar e tratar problemas leves. Se houver persistência dos sintomas ou desconforto, procure um médico.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

 


DEIXE UMA RESPOSTA