[the_ad_group id="16401"]
Primeiros Socorros > Saúde

Você já se imaginou em uma avalanche? Saiba o que fazer

Por Redação Fortíssima 10/02/2016

Os países com invernos rigorosos atraem milhares de turistas devido às paisagens cobertas de neve. Há também quem esteja em busca de diversão, já que os locais são ótimos para a prática de atividades como esqui ou snowboard. Mas você já se imaginou surpreendido por uma avalanche? Pode não ser comum, porém acontece.

O que provoca uma avalanche?

São vários os fatores capazes de causar um fluxo repentino de neve abaixo de uma encosta ou montanha. A descida rápida do gelo muitas vezes parece inofensiva, mas o fato é que pode causar uma série de danos.

A neve é ​​depositada em camadas sucessivas à medida que o inverno progride. Há basicamente dois tipos de avalanches: a primeira ocorre quando uma camada de neve com propriedades diferentes desliza sobre outra camada de neve. A segunda é quando toda uma cobertura de neve, da terra à superfície, desliza sobre o chão.

Por muitos anos, acreditou-se que até mesmo um eco de voz humana nas montanhas seria capaz de desalojar a neve o suficiente para iniciar um desses eventos. Porém, essas teorias já não são bem aceitas e a compreensão indica principalmente fatores ambientais como gatilhos.

Por exemplo, as tempestades de neve são mais propensas a causar avalanches. As 24 horas posteriores a elas são consideradas por especialistas como as mais críticas. Outras causas naturais incluem terremotos e tremores de terra.

Além disso, os seres humanos têm contribuído para ocorrência de avalanche nos últimos anos. É que esportes de inverno exigem encostas íngremes, muitas vezes colocando uma grande pressão sobre a neve.

Avalanche na neve

As avalanches são mais comuns depois de tempestades. Foto: iStock, Getty Images

Cuidados ao visitar montanhas cobertas de neve

Se você está indo curtir o frio em algum tipo de montanha nevada, precisa estar atento ao risco desses incidentes. Primeiro de tudo, é preciso verificar o boletim de avalanche local, que indica quaisquer riscos imediatos de deslizamentos de neve – eles costumam estar disponíveis na internet.

Os Alpes, por exemplo, possuem uma temporada de janeiro a março na qual a maioria dos deslizamentos acontece. Os boletins costumam ser elaborados com dados históricos, informações meteorológicas e dados sobre a neve real da montanha – que é recolhida periodicamente para tentar prever as probabilidades de uma avalanche.

Além disso, tente ter uma boa compreensão do terreno no qual você está andando, para saber como lidar com os riscos se eles eventualmente acontecerem. A antecipação e a preparação são fundamentais para ter sucesso em caso de imprevistos.

É ainda uma boa dica subir montanhas sempre acompanhado. Leve também consigo equipamentos de segurança e salvamento. O ideal é ter balizas de localização, sondas e pás. Recentemente, foi desenvolvido ainda um sistema de airbag, capaz de ser ativado por um cabo. Ele pode mantê-lo na superfície em caso de problemas.

Tudo isso soa assustador antes de preparar a viagem para um destino em que a neve é o principal atrativo? A situação pode ser um pouco mais tranquila. Segundo um estudo da Inssbruck Medical University, da Áustria, aproximadamente 81% das vítimas são resgatadas com vida.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]