Descrita pela primeira vez em 1909 pelo médico brasileiro Carlos Chagas, do qual herdou o nome, a doença de Chagas ainda é responsável por um surpreendente número de mortes no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, ela chega a ocasionar cerca de seis mil óbitos por ano, especialmente na região da Amazônia.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de um milhão de brasileiros foram infectados em 2015. Ocasionada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, a enfermidade é classificada como uma doença tropical parasitária, comum em países da América do Sul, América Central e no México.

Sintomas da doença de Chagas

Para entender como a doença de Chagas se manifesta, é importante identificar que há diferentes formas de contrair a infecção. A mais comum é por meio do contato com as fezes do inseto conhecido popularmente como barbeiro. Se uma pessoa contaminada doar sangue ou órgãos, quem os receber também pode ser infectado.

Há ainda outro vetor de transmissão que provocou um surto da doença de Chagas em 2015: a ingestão de alimentos contaminados com fezes do barbeiro. Foi o que aconteceu há exatamente um ano, no período de maior consumo do caldo de cana em engenhos no Rio Grande do Norte.

No período, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) confirmou 14 casos da doença em que os infectados consumiram o caldo. Um indício de que a contaminação ocorreu por conta da planta, que provavelmente foi contaminada com as fezes do parasita durante a moagem.  

doença de Chagas
Na fase crônica, doença de chagas pode manifestar sintomas anos após a infecção. Foto: iStock, Getty Images

Independente da forma de contaminação, o mais importante é saber identificar os sintomas da doença de Chagas. Eles variam de acordo com a fase em que ela se encontra. Na aguda, as manifestações mais frequentes são febre, mal-estar, inchaço nos olhos, inflamação, vermelhidão e dor nos gânglios (na região da garganta).

Já na fase crônica, os sintomas podem ocorrer tardiamente. Isso significa que é possível que a pessoa só descubra a patologia 20 ou 30 anos depois da infecção. Neste caso, as manifestações aparecem, com maior frequência, por meio de problema grave no coração – em 30% dos casos – ou no sistema digestivo – em 10% das situações.

Outros indícios que aparecem na fase crônica são desmaios, dores no peito, palpitações, inchaço dos membros inferiores, constipação, dificuldade para engolir e dores abdominais. Mas nem sempre todos eles aparecem ao mesmo tempo ou de forma muito evidente, o que pode levar o paciente a confundir o quadro com um simples mal-estar.

Tanto é que cerca de 90% das pessoas infectadas não sabem que convivem com a doença de Chagas. Por isso, diante de qualquer suspeita, o ideal é procurar atendimento médico. Quanto mais rápido o diagnóstico, melhores a chances de um tratamento para evitar complicações futuras.

Doença de chagas tem cura?

A doença de Chagas tem cura. Tudo depende, porém, do diagnóstico precoce e do tratamento. Embora não exista vacina, no caso da infecção aguda as chances de cura por meio do uso dos medicamentos benznidazol ou nifurtimox é próxima de 100%.

A situação é mais complicada no caso de infecções crônicas. Neste cenário, o tratamento tem pouca efetividade, pois o corpo continuará gerando anticorpos, já que o parasita não está mais no sangue e sim alojado nos órgãos. Por isso, os remédios são direcionados ao alívio dos sintomas e não à doença em si.

Conseguiu esclarecer suas dúvidas sobre a doença de Chagas? O que achou do artigo? Opine nos comentários. Também aproveite para conhecer o Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!