[the_ad_group id="16403"]
Primeiros Socorros

Entenda as causas e saiba como se prevenir de um torcicolo

Por Redação Doutíssima 28/12/2013

Ele pode começar a se manifestar devagar e, de uma hora para outra, causar uma dor que acaba com o seu dia. A cervicalgia, popularmente conhecida como torcicolo, é caracterizada pelo desconforto na parte posterior do pescoço ou da nuca, que surge diante de movimentos, mas melhora em repouso. Nos casos mais graves, o quadro pode se tornar crônico.

O fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRColuna), aponta que o torcicolo pode estar relacionado a uma série de fatores, que vão desde movimentos bruscos do pescoço, permanência em posição forçada ou até doenças associadas, como hérnia de disco.

Torcicolo: causas e sintomas

Segundo o especialista, estima-se que 55% da população brasileira já teve ou terá algum tipo de desconforto relacionado ao torcicolo. E mais: dentro dessa porcentagem, 12% das mulheres e 9% dos homens poderão desenvolver cervicalgia crônica. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas do problema.

Conforme lembra Martins, o paciente com cervicalgia costuma adotar uma postura de defesa, mantendo rigidez nos movimentos. Também apresenta alterações na mobilidade do pescoço e  uma dor na região da nuca e do ombro, ou até em todo o membro superior. A intensidade varia: a pessoa pode se queixar desde um desconforto leve, até uma dor limitante.

Em determinadas situações, o braço do paciente poderá doer e apresentar mudanças de sensibilidade e força muscular. Esses sintomas são chamados de alterações neurológicas. De acordo com o fisioterapeuta, também pode haver dormência em algum membro.

A fraqueza muscular é típica dos casos mais agravados e prolongados, pois geralmente é progressiva. Alterações nos reflexos em inserções musculares no punho, ombro e cotovelo são características do torcicolo crônico.

Seja no ambiente profissional ou doméstico, a cervicalgia pode surgir em decorrência de desordem mecânica, ao excesso de carga nos membros superiores, a fatores posturais e ergonômicos. O problema pode ocorrer, também, por conta de outras doenças associadas.

O pinçamento de um nervo na coluna, que caracteriza a hérnia de disco e ainda outras doenças dos discos da coluna, como bicos de papagaio e formações ósseas anormais, às vezes desencadeiam o torcicolo. Por isso, se você possui alguma dessas condições ou exerce atividade profissional que envolva movimentos repetitivos, precisa ter cuidados redobrados.

torcicolo

Torcicolo pode prejudicar seu rendimento no dia a dia. Foto: iStock, Getty Images

Tratamento da cervicalgia

Na prevenção e tratamento do torcicolo, segundo Martins, o colchão e o travesseiro desempenham um papel importante. Isso porque, quando muito baixos ou muito altos, causam dor e desconforto em decorrência do desalinhamento do pescoço.

O fisioterapeuta indica que o ideal é dormir de lado com um travesseiro que ocupe espaço entre a cabeça e o colchão, com o intuito de manter o alinhamento da coluna cervical. Para quem já sofre com o torcicolo, ele recomenda a fisioterapia como forma de tratamento.

Segundo Martins, as terapias manuais e a mesa de tração ajudam a fortalecer os músculos e diminuir a compressão no complexo de discos da coluna vertebral. Atividade física regular e boa postura no trabalho, lembra ele, são duas formas de prevenir o problema.

E aí, o que achou? Deixe um comentário! E não esqueça de compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]