[the_ad_group id="16401"]
Cirurgia Plástica > Especialidades

Guia da cirurgia plástica íntima: o que você precisa saber

Por Redação Doutíssima 01/04/2014

Nos últimos anos, a cirurgia plástica íntima tornou-se cada vez mais popular entre as mulheres. Redução dos lábios vaginais, correção de uma cicatriz, reconstrução do hímen, aumento dos lábios ou rejuvenescimento vaginal após o parto são algumas das muitas opções oferecidas.

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ASAPS), em 2013, o Brasil foi líder em procedimento de rejuvenescimento vaginal, com 13.683 cirurgias.

De acordo com a ASAPS, as mulheres que se submetem a procedimentos comuns de cirurgia plástica eletiva não apenas se sentem melhor com relação a seus corpos, como também têm níveis mais elevados de satisfação em sua vida sexual.

cirurgia plastica intima

Mulheres buscam na cirurgia da área vaginal um relacionamento melhor com o corpo. Foto: iStock, Getty Images

O que é cirurgia plástica íntima?

A aparência da área vaginal é uma parte muito importante na vida de uma mulher, e está associada a uma melhor autoestima e qualidade na vida sexual. Por outro lado, uma aparência vaginal não desejada é capaz de causar sérios problemas psicológicos.

Com isso, muitas mulheres procuram procedimentos estéticos para melhorar a aparência da região pubiana. Tais intervenções geralmente incluem a reconstrução, o tensionamento, a redução do tamanho e o embelezamento da vagina. Os procedimentos mais comuns são:

1. Vaginoplastia

Esse é um procedimento que visa a reconstituição da vagina através da remoção de excesso de tecido da mucosa vaginal. Ela é indicada como uma solução para as mulheres que tenham sofrido a perda do tônus ​vaginal devido ao parto ou ao envelhecimento.

2. Labioplastia

Envolve a redução do tamanho dos lábios vaginais, bem como a correção da assimetria. Algumas mulheres fazem a labioplastia porque seus lábios causam atrito e irritação em atividades cotidianas, como andar de bicicleta.

3. Himenoplastia

Esse procedimento reconstrói o hímen, de modo que depois de uma relação sexual, a membrana irá rasgar e sangrar.

4. Redução do clitóris

Esse procedimento envolve a redução da pele que envolve o clitóris, expondo a glande ou o clitóris. Ela tem como objetivo fornecer mais estímulo e, portanto, aumentar o prazer sexual.

Por que procurar a cirurgia plástica íntima?

A busca pelo corpo perfeito não se resume a bumbum perfeito e seios grandes. Atualmente, as mulheres estão buscando a reparação cirúrgica, como a cirurgia plástica íntima, para outros problemas estéticos.

As principais razões pelas quais uma mulher procura uma cirurgia plástica íntima é sentir vergonha durante situações íntimas, por exemplo. Essas operações, porém, não são recomendados para mulheres com menos de 18 anos de idade.

Quais os riscos e complicações desse tipo de cirurgia

Como qualquer cirurgia, a cirurgia plástica íntima não é isenta de riscos. Os riscos incluem infecção, formação de tecido cicatricial em excesso, diminuição da sensação clitoriana e dor durante a relação sexual.

Em entrevista ao site da BBC, a ginecologista Sarah Creighton, da University College, de Londres, sugere que ao invés de curar problemas sexuais, a cirurgia plástica íntima pode agravá-los, por danificar o suprimento nervoso da área, prejudicando a sensibilidade sexual e satisfação.

Ela também adverte que as mulheres que se submetem a esse procedimento podem ter problemas no parto, semelhantes aos daquelas que sofreram mutilação genital feminina. Trata-se de um ritual em que partes da vagina são removidas e que, de acordo com pesquisas, faz as mulheres serem mais propensas a experimentarem sangramento após o parto.

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]