Guia do Câncer

Veja como funciona a radioterapia para câncer de próstata

Por Redação Doutíssima 16/11/2014

Para conhecer o tratamento de combate ao câncer, inicialmente é preciso conhecer as funcionalidades da região onde a doença surgiu, a sua origem. O local indica o tipo de câncer, mas dentro de que cada tipo existem especificidades e níveis de agressividade para aquela manifestação.

A radioterapia para câncer de próstata é um dos tratamentos mais indicados pelos médicos, pelas possibilidades de controle e cura da doença.

radioterapia-para-câncer-de-próstata

Tratamento é uma das formas de buscar a cura para a doença. Foto: iStock, Getty Images

Como funciona a radioterapia para câncer de próstata?

A radioterapia é um método indicado para vários tipos de câncer, em que as células malignas recebem radiações em áreas determinadas. A ideia é matar e enfraquecer os tumores. No processo, algumas células saudáveis também podem ser atingidas, mas estas possuem maior capacidade de regeneração, sem causar danos a outros órgãos e tecidos.

Os equipamentos mais modernos de radioterapia já contam com uma técnica mais precisa de aplicação, onde as células normais são protegidas enquanto as células com câncer recebem doses elevadas de radiação.

A radioterapia para câncer de próstata tem objetivo de curar, controlar ou melhorar a qualidade de vida do paciente. Tudo depende do estágio que se encontra a doença.

Em caso de tumores localizados na fase inicial, ou mesmo que já tenham saído da próstata mas não estejam com metástases (quando o tumor original avançou), com a radioterapia para câncer de próstata é grande o índice de pessoas curadas ou pelo menos que a doença fique sob controle.

Nos casos onde o câncer já se espalhou pelos ossos, quando ocorre metástase óssea, a radioterapia é utilizada para diminuição de dores ou sintomas, aliviando a pressão e reduzindo hemorragias, quando ocorrem.

Radioterapia para câncer de próstata como método preventivo

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutivo masculino e fica localizada no interior da pélvis, na base da bexiga. Quando é diagnosticado um câncer, a primeira coisa é saber onde está localizado o tumor original.

Se o tumor está dentro da glândula, o médico pode optar pela retirada do tumor e da glândula através de cirurgia. Neste caso, a radioterapia para câncer de próstata pode servir para preventivo.

Quando o tumor já está do lado de fora da glândula e invadiu tecidos vizinhos, é possível combinar tratamentos diferentes, como a hormonioterapia, radioterapia para câncer de próstata e cirurgia para retirada.

No caso de metástases, onde a doença já se espalhou pelos ossos, tecidos e órgãos, a radioterapia é utilizada para controle da dor e melhora na qualidade de vida, além de outros tratamentos paliativos.

Assim como muitos benefícios, a radioterapia pode causar efeitos colaterais. É possível o paciente não ter nada ou apenas sentir algum desconforto passageiro na área onde recebeu aplicação. Mas sintomas mais fortes e desagradáveis também podem ocorrer.

Os mais comuns são: fadiga, náusea e vômitos, diarreia, boca irritada, falta de apetite e tristeza. Tudo varia de pessoa para pessoa e também tem relação com a dose que o paciente recebe. O ideal é avaliar tudo com o médico para estar prevenido.

 

 


Sites parceiros