[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Câncer de estômago é o terceiro tipo mais frequente em homens

Por Redação Doutíssima 23/04/2015

Você sabia que o câncer de estômago é o terceiro tipo de tumor de maior incidência entre os homens no Brasil? Ele fica atrás somente do câncer de próstata e de pulmão. Por isso, é preciso estar muito atento aos sintomas da doença.

 

Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a doença será diagnosticada em mais de 20 mil pessoas no país até o final do ano, sendo quase 13 mil do sexo masculino. Os dados do Inca demonstram que eles têm quase duas vezes mais chances de desenvolverem câncer no estômago do que as mulheres.

 

Outro dado apontado pelo instituto é que 65% dos pacientes diagnosticados com esse câncer têm mais de 50 anos. O pico de incidência acontece nos homens por volta dos 70 anos.

cancer de estomago

Alimentação saudável e equilibrada pode ajudar na prevenção de tumor no estômago. Foto: iStock, Getty Images

Sintomas do câncer de estômago

Todo câncer diagnosticado no início tem chances de cura. Por isso, é fundamental ficar atento aos sintomas do câncer de estômago. Entre eles, os mais importantes são: perda de peso inexplicável, sensação de plenitude gástrica, vômitos e desconforto abdominal.

A maior parte dos pacientes com esse tumor tem o diagnóstico em fase avançada, quando começa a se queixar dos sintomas.

Outros sinais importantes são massa palpável na parte superior do abdômen, aumento do tamanho do fígado e anemia, presente nos pacientes com sangramento. Além da perda de peso, a anemia é um dos sintomas mais importantes do câncer de estômago, ocorre em um terço dos pacientes e pode indicar uma lesão avançada.

A oncologista Miriam Htsue Hond Federico explica que o tipo mais comum do câncer de estômago é o adenocarcinoma gástrico. Esse tipo progride através de uma série de estágios: mucosa normal, gastrite crônica, gastrite atrófica, metaplasia intestinal (transformação da célula da mucosa do estômago em célula de intestino) e, finalmente, a displasia (presença de anomalias no decurso e desenvolvimento do órgão) e o câncer.

Outros tipos menos frequentes, de acordo com o oncologista Agnaldo Anelli, são os linfomas gástricos.

 

Tratamento e prevenção do câncer de estômago

Entre as opções para tratar o tumor maligno no estômago estão a ressecção endoscópica, que é recomendada somente para os casos iniciais do câncer gástrico. Essa técnica consiste na retirada do tumor com acesso pela boca, sem precisar de cortes.

A cirurgia é o método mais utilizado nas fases mais avançadas da doença. Durante a operação, pode ser feita uma gastrectomia total (remoção completa do órgão) ou a gastrectomia subtotal (manutenção de parte da bolsa gástrica).

 

A quimioterapia pode ser indicada antes do procedimento cirúrgico para reduzir o tumor e torná-lo operável, ou ainda, após a cirurgia nos casos em que não há extensão para as camadas mais profundas do órgão ou a infiltração de linfonodos.

Existem, atualmente, novas drogas que agem diretamente nas células cancerígenas e aumentam as taxas de resposta e a sobrevida dos pacientes com esse tipo de câncer.

Junto à quimioterapia, pode ser recomendada a radioterapia, depois da cirurgia, quando existe uma lesão avançada.

Os especialistas alertam que, para prevenir o aparecimento do câncer de estômago, é fundamental manter uma dieta balanceada e evitar alimentos industrializados. Fumantes e quem ingere bebidas alcoólicas, ou que já tenham feito operações no estômago, têm mais chances de ter a doença.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]