Assim como as mulheres, os homens também apresentam redução de hormônios depois da meia idade. Mas diferentemente delas, em que todas passarão pela menopausa, de 3% a 30% dos homens são afetados pela baixa dos níveis hormonais – e são eles que recorrem à reposição de testosterona.

reposição-de-testosterona
Queda de produção do hormônio deve ser combatida pelo homem. Foto: iStock, Getty Images

Outra diferença em relação às mulheres é que a redução da testosterona não provoca infertilidade, mas pode provocar perda de libido, massa muscular e força, fadiga, osteoporose, depressão e até disfunção sexual.

A reposição deste hormônio pode contribuir para a melhora de alguns dos sintomas, embora não seja indicado a todos os homens. Apenas um terço deles pode fazer uso de medicação.

Quando buscar a reposição de testosterona?

A reposição de testosterona só é indicada em casos onde a taxa do hormônio é inferior a 300 nanogramas por delicitro de sangue – apenas um médico urologista pode atestar essa baixa – e naqueles pacientes que sofrem de sintomas agudos.

O hormônio reposto, entretanto, só é capaz de contribuir para a melhora da libido, da massa muscular e da osteoporose. Os demais sintomas não serão afetados.

A reposição de testosterona, o chamado hormônio masculino, também envolve riscos para a saúde do homem. Em doses elevadas, pode provocar o crescimento das glândulas mamárias, aumento dos níveis de colesterol “ruim”, irritabilidade no fígado, apneia do sono e até propensão à hipertensão arterial.

A ciência já descartou o risco de o medicamento provocar câncer de próstata. Mas em pacientes que já tenham o diagnóstico, pode haver o aumento do tumor.

Como é o tratamento de reposição de testosterona

A reposição de testosterona pode ser feita a partir de um medicamento receitado pelo médico urologista, pois é de uso controlado. No Brasil, até o início de 2014, só existiam três tipos de remédios para o tratamento. Todos eram de uso injetável e de longa duração – dois deles são de aplicação a cada três semanas e um terceiro, quatro vezes ao ano.

Desde o início deste ano, uma nova droga para repor a perda do hormônio masculino é vendida no Brasil. De uso diário e tópico, pois aplicada nas axilas, promete ser mais vantajosa para o paciente – como os outros medicamentos são aplicados de tempo em tempo, não seriam tão eficientes nesta reposição.

O custo do rollon aplicador e do medicamento para um mês está em torno de R$ 300 e não é fornecido pelo Sistema Único de Saúde, os outros três medicamentos, sim.

É importante que o homem saiba que a reposição de testosterona não fará nenhum milagre, mas certamente ajudará a recuperar parte de sua qualidade de vida. Fatores externos, como praticar exercícios físicos, manter uma alimentação balanceada, não fumar e evitar o álcool, também ajudam nesta fase.

Sinais da redução dos níveis de testosterona

– Redução do desejo sexual

– Dificuldade de ereção

– Falta de concentração

– Fadiga

– Perda acentuada de pelos

– Ganho de peso

– Redução da massa muscular

– Diminuição da força física

– Irritabilidade

Insônia

– Apneia.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


DEIXE UMA RESPOSTA