Amor e Sexo > Métodos Contraceptivos

Camisinha com espermicida é alternativa de contracepção

Por Redação Doutíssima 20/06/2015

Há diversas variedades de métodos contraceptivos disponíveis no mercado. A camisinha com espermicida pode ter uma grande vantagem em relações às demais. Um espermicida é adicionado à camisinha e é capaz de torná-la mais eficaz contra a gravidez. Mas será que adicionar essa substância ao preservativo é realmente seguro?

 

Como a camisinha com espermicida funciona?

As camisinhas ajudam a manter o esperma masculino fora da vagina da mulher. Normalmente, elas são feitas de látex ou plástico. Para melhorar a segurança, porém, as mulheres deveriam usar o espermicida ao mesmo tempo em que o homem usa a camisinha.

camisinha com espermicida

O espermicida, substância usada em alguns preservativos, pode danificar o látex. Foto: iStock, Getty Images

No entanto, muitos casais podem achar trabalhoso colocar o espermicida, além da camisinha. Para eles, a alternativa é a camisinha de látex contendo essa substância. Nesse tipo de preservativo, o espermicida é colocado tanto dentro quanto fora da camisinha.

 

A substância age como uma garantia adicional para o caso de a camisinha furar ou falhar. Ela também é útil porque ajuda a prevenir a ocorrência de doenças sexualmente transmissíveis – o uso isolado do espermicida não tem essa eficácia. Além disso, a camisinha contendo espermicida é muito mais prática do que colocá-lo isoladamente na vagina da mulher – acredita-se que, para que ele seja eficaz, seja necessário colocar até uma hora antes da relação.

 

Estima-se que aproximadamente 18 a cada 100 mulheres ficam grávidas mesmo que seus parceiros usem camisinhas. Quando é usado apenas o espermicida, a taxa de gestação aumenta – 28 a cada 100 mulheres ficam grávidas.

 

Camisinha com espermicida é eficaz?

As vantagens desse tipo de preservativo parecem muitas, mas a verdade é que há alguma controvérsia quanto à efetividade e à segurança da camisinha com espermicida.

 

Alguns sugerem que elas não são mais eficazes que as camisinhas normais, enquanto outros apontam que o nonoxynol-9, presente nos preservativos com espermicida, é capaz de causar reações adversas no organismo.

 

De acordo com um levantamento feito pela Universidade de Harvard, a efetividade de uma camisinha com espermicida é menor do que a da camisinha sem ele.

 

Eles indicam que o preservativo usado sozinho é 98% eficaz, enquanto a taxa de eficácia da camisinha com espermicida fica entre 95 a 97%. A explicação dada pelos especialistas é que o espermicida pode danificar o látex.

 

Além disso, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o nonoxynol-9, substância comum nos preservativos com espermicida, é capaz de aumentar o risco de contrair certas doenças sexualmente transmissíveis.

 

Um artigo publicado no American Journal of Epidemiology ainda sugere que há uma íntima conexão entre as camisinhas com espermicida e as infecções do trato urinário.

 

O nonoxynol-9 é um ingrediente comum encontrado em todos os espermicidas. De acordo com a Administração de Comida e Drogas dos Estados Unidos, a substância é segura para o organismo, mas tanto homens quanto mulheres podem apresentar reações alérgicas.

 

Os sintomas dessa reação alérgica vão de moderados a severos – incluindo queimação, coceira, irritação dolorosa e choque anafilático. Se você sentir qualquer um destes sintomas após o uso de uma camisinha com espermicida, procure ajuda médica e use outros tipos de métodos contraceptivos.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros