Clínica Geral

IBGE: obesidade no Brasil atinge uma em cada quatro mulheres

Por Redação Doutíssima 21/08/2015

Descobrir como está a saúde dos brasileiros foi o objetivo da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013: Ciclos de Vida, conduzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O terceiro volume de dados compilados através de consultas feitas em mais de 60 mil residências revelam: a obesidade no Brasil atinge uma a cada quatro mulheres.

Os números foram informados nesta sexta-feira, 21 de agosto. O primeiro volume de dados foi divulgado em dezembro de 2014 e, o segundo, em junho de 2015.

obesidade no brasil doutissima shutterstock

Estatísticas do PNS apontam que mais da metade da população brasileira está acima do peso ideal. Foto: Shutterstock

Percentual feminino cresce 11,2% em 10 anos

A avaliação feita com o público feminino revelou que, em 2013, o percentual de obesidade das mulheres era maior do que o dos homens. Segundo as estatísticas, a condição atingia 24,4% delas, contra 16,8% deles.

Em um panorama mais apurado, foram comparados os dados entre os levantamentos da obesidade em 2003 em relação aos de 2013. A constatação foi de que, em dez anos, o índice de obesas de 20 anos ou mais subiu de 14% para 25,2%, o que representa um aumento de 11,2 pontos percentuais.

Para compreender melhor esses dados, é importante considerar que a obesidade é uma condição definida pelo Índice de Massa Corporal (IMC) da pessoa, obtido por meio da divisão do peso pelo quadrado da altura. Quando o resultado é igual ou maior que 30, ela é considerada obesa.

A partir desse cálculo, a PNS apontou que uma em cada quatro mulheres de 18 anos ou mais de idade era obesa em 2013. No público feminino com idade de 55 a 64, o índice de obesidade chegou a 32,2%, contra 23% dos homens.

Os dados sobre a condição de excesso de peso também foram expressivos. O levantamento apontou que 56,9% dos brasileiros, mais da metade da população, estava acima do peso ideal. Em outras palavras: 82 milhões de pessoas apresentaram o IMC igual ou maior que 25.

Os percentuais apontaram que o excesso de peso aumenta com a idade, prevalecendo no sexo feminino: a condição atinge 58,2% do público feminino, contra 55,6% do masculino.  A partir da faixa etária de 35 a 44 anos, a prevalência do peso excessivo chega a 63,6% e ultrapassa os 70,0% na faixa de 55 a 64 anos.

O declínio nos índices de obesidade só foi observado na faixa etária acima dos 75 anos. Segundo o levantamento,  58,3% do sexo feminino é afetado pela doença na terceira idade.

Obesidade no Brasil: circunferência abdominal 

O reflexo dos altos índices de obesidade também pode ser observado pelo tamanho da circunferência abdominal. Segundo as estatísticas da PNS, 52,1% das mulheres consultadas em 2013 tinham o tamanho da cintura maior ou igual a 88 cm. Essas medidas são características da obesidade abdominal.

Assim como nos índices de peso excessivo, foi detectado que a circunferência abdominal aumenta de acordo com a idade. Ou seja: quanto mais idade tem a mulher, mais elevado o tamanho da cintura. Nas mulheres acima dos 55 anos, a obesidade abdominal chega a ultrapassar os 70%, contra 35% no caso dos homens.

Hipertensão atinge 21,4% da população

O excesso de gordura abdominal e a obesidade podem desencadear doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão, entre outros problemas. Por isso, os índice de brasileiros afetados pelo excesso de peso também reflete nas estatísticas relacionadas a essas condições.

A PNS apontou que, no ano da pesquisa, 21,4% dos brasileiros com mais de 18 anos foram diagnosticados com hipertensão, 12,5% foram identificados com colesterol alto e 6,2% receberam o diagnóstico de diabetes.

Em contrapartida, 66,1% da população avaliou sua própria saúde como boa ou muito boa.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros