Filhos

Primeira dentição: confira dicas e tire as suas dúvidas

Por Redação Doutíssima 07/10/2015

Os bebês são como caixinhas de surpresas e muitas vezes o desenvolvimento ocorre tão depressa que os pais não conseguem acompanhá-lo. É preciso estar preparado para todos os acontecimentos e um deles é a primeira dentição. Nessa fase, o bebê pode apresentar vários sintomas, sendo a maioria deles desconfortáveis.

 

Desenvolvimento da primeira dentição

Os primeiros dentes de um bebê geralmente se desenvolvem quando a criança ainda está crescendo no útero. Eles começam a surgir através da gengiva quando os pequenos têm aproximadamente seis meses de idade. Esse processo é conhecido como primeira dentição.

primeira dentição istock getty images doutíssima bebê

Primeira consulta ao dentista deve ocorrer durante o primeiro ano de vida. Foto: iStock, Getty Images

No entanto, é importante saber que os bebês são diferentes e o momento da dentição pode variar. Em alguns casos, os dentes começam a aparecer já aos quatro meses e, em outros, somente depois dos 12 meses. A dentição precoce ou tardia não deve causar problemas, exceto se afetar a alimentação do pequeno.

 

As diferentes fases dos dentes podem durar meses e começam com o aparecimento dos incisivos, dentes frontais inferiores. Depois devem surgir os incisivos superiores, entre o 6º e o 8º mês. Os incisivos laterais superiores nascem do novo ao 11º mês. Do 10º ao 12º mês é a hora dos incisivos laterais inferiores, seguidos então pelos molares do 12º ao 16º mês.

 

Finalizando a dentição da criança, do 16º ao 20º mês crescem os caninos, e do 20º ao 30º mês de idade os segundos molares. Em geral, uma criança terá todos os dentes de leite até completar 2 anos e meio de idade.

 

Parece simples, mas essa fase é marcada por determinados sintomas. Em um estudo publicado na revista Pediatrics, pesquisadores da Cleveland Clinic Foundation avaliaram 125 crianças dos seus 3 meses até o primeiro aniversário. Eles descobriram que, durante a dentição, houve um aumento notável de alguns sinais.

 

Os estudiosos destacaram nessa fase maior quantidade de saliva, coceira, irritabilidade, vigília noturna, erupção cutânea facial, diminuição do apetite e temperatura. Os sintomas não são graves, mas para o conforto dos bebês é preciso saber gerenciá-los.

 

primeira dentição infográfico doutíssima

Cuidados com os dentinhos do bebê

Quando os sintomas da primeira dentição estão mais intensos, certos truques podem ser úteis. Por exemplo, um mordedor gelado é capaz de ajudar no inchaço e na coceira da gengiva. Para esse efeito também é possível usar uma fralda de pano gelada – esfregue a área com o dedo limpo enrolado nela.

 

A dor da dentição é semelhante à dor de cabeça crônica. Muitas vezes é possível acalmar seu filho simplesmente distraindo-o. Quando você consultar o pediatra, também pode pedir-lhe um analgésico ou dessensibilizante – jamais use remédios sem a autorização do médico.

 

De acordo com a Associação Brasileira de Odontopediatria, a primeira consulta ao dentista deve ocorrer durante o primeiro ano de vida, preferencialmente por volta dos 6 meses de idade. O odontólogo vai avaliar hábitos alimentares e de limpeza, além de verificar se há sinais precoces de cárie dentária.

 

Escovar os dentes do seu filho é muito importante. Para isso você não precisa usar creme dental, apenas uma dedeira ou até mesmo uma fralda de pano umedecida. Além disso, é importante não dar alimentos açucarados para ele comer ou beber antes de dormir, pelo menos sem fazer a higiene dos dentes posteriormente.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros