Seja qual for o procedimento hospitalar que vá causar dor ou desconforto, diversos tipos de anestesia são utilizadas para confortar o paciente. Entretanto, com a hipnose no parto, o medo, o sofrimento e a ansiedade da gestante podem ser minimizados a ponto de dispensar dosagens altas dos medicamentos.

Entenda como funciona e quais são os benefícios de optar pela hipnologia antes, durante e após dar à luz.

hipnose-no-parto-doutissima-istock-getty-images
Técnica da hipnose ajuda a eliminar o desconforto das dores e facilita a dilatação. Foto: iStock, Getty Images

Fundamentos e benefícios da hipnose no parto

Segundo Luiz Carlos Crozera, diretor do Instituto Brasileiro de Hipnologia, é importante saber que existem três linhas de hipnose científica no mundo. A clássica, a Ericksoniana e a conhecida como condicionativa. Essa última, considerada uma técnica de condicionamento mental, foi desenvolvida no Brasil, a partir de 1983, pelo próprio Crozera.

 

O diretor explica que, na hipnose para o parto, ao utilizar o método condicionativo, a gestante, meses ou semanas antes do trabalho de parto, passa por uma ou mais sessões de hipnóticas. Dessa maneira, é levada ao relaxamento profundo e, ao mesmo tempo, o sensor de crítica do racional é afastado, entrando no verdadeiro estado de hipnose, que dá acesso aos níveis de memória conscientes e inconscientes.

A partir de então, o professor explica que o relaxamento é ancorado para que a gestante não entre em sono fisiológico. “Uma vez dentro das memórias, é possível implantar mecanismos de condicionamento mental, previamente programados, para dissiparem assim que ela entrar em trabalho de parto, como controle da ansiedade, criando sensações de bem-estar para toda musculatura do corpo”, descreve.

Além disso, os pensamentos passam a ficar serenos no momento das contrações, de modo que aconteça a elevação da autoestima, evitando o aparecimento de medos e inseguranças. Para Crozera, o processo de analgesia e anestesia hipnótica elimina o desconforto das dores e facilita a dilatação satisfatória do colo uterino, para que a fisiologia possa cumprir seu papel de forma natural.

O processo chamado de hipnoparto condicionativo pode aumentar as chances do bebê nascer por parto normal e muito mais rápido, e evitar cirurgias cesarianas. Conforme o profissional, a técnica é indicada para todas mulheres em período de gestação, com sessões mensais a partir do terceiro mês, individuais ou até em grupos com duração média de uma hora.

Crozera salienta que os maiores problemas para a gestante são a exacerbada carência afetiva e fragilidade emocional com sensações de medos e inseguranças, que se acentuam conforme se aproximam os dias do nascimento.

Cuidados da técnica 

Segundo o diretor, os cuidados maiores estão em quem aplica as técnicas, não em quem está recebendo. A hipnose no parto não possui contraindicações, pois não são utilizados fármacos ou químicos durante os procedimentos. “Como no recurso da hipnose é utilizada apenas a voz, a gestante não pode ter surdez e deve estar com sanidade mental”, alerta.

O profissional aconselha as gestantes a buscar profissionais capacitados, com formação em uma instituição idônea, além do tempo de experiência e prática como hipnólogo. “É importante que a gestante saiba quais são as linhas de hipnose clínica, como elas funcionam e escolha apenas uma”, pontua.

De acordo com Crozera, milhares de clínicas e centros terapêuticos, espalhados por todo Brasil e outros países, estão capacitados para atuarem com a hipnose, inclusive no parto. A única entidade mantenedora e credenciada para ministrar formações técnicas é o Instituto Brasileiro de Hipnologia, onde profissionais podem ser encontrados para contato por meio do portal da instituição.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!  


DEIXE UMA RESPOSTA