Filhos

Preparação é fundamental para uma boa adaptação no berçário

Por Redação Doutíssima 30/10/2015

A adaptação das crianças a um novo ambiente depende de muitos fatores, sendo difícil dizer quanto tempo levará. Algumas delas são capazes de se adaptar ao berçário logo na primeira semana, mas outras precisam de um mês ou até mais. Para facilitar o processo, é possível prepará-las para passar esse tempo longe dos pais.

 

Berçário proporciona benefícios às crianças

Muitos pais que trabalham se sentem culpados por deixarem os filhos em creches, mas não há motivos para isso. De acordo com um estudo, as crianças podem realmente se beneficiar passando horas longe de casa todos os dias.

bercario-doutissima-istock-getty-images

Converse com amigos e busque indicações antes de escolher um berçário ou creche para o seu filho. Foto: Shutterstock

Uma pesquisa feita pela Universidade de Oxford revela que começar no berçário antes dos 2 anos de idade é capaz de refletir em melhores relações na escola primária – o projeto acompanhou 3 mil crianças desde 1996. Então se a licença-maternidade acabou, não tenha medo de deixar seu filho ou filha em um local de sua confiança.

 

Busque instalações que possuam cuidadores especializados e tenham toda a infraestrutura necessária. Uma questão importante a avaliar é o número de crianças destinadas a cada cuidador – isso pode garantir mais atenção às necessidades do seu pequeno.

 

Para não errar na escolha, é possível conversar com amigos e buscar indicações de locais confiáveis. Uma outra opção é conversar com outros pais e verificar se o local é realmente adequado.

 

Prepare o seu filho para essa nova fase

Depois que você escolher o melhor local, vale a pena conversar com os cuidadores sobre a adaptação da criança. Nos primeiros dias e até mesmo semanas, a criança pode ficar no local apenas por algumas horas e ir aumentando esse tempo aos poucos. Há ainda outras formas de prepará-la para esse momento.

 

Deixe que ela leve algo de seu apego para ter algo familiar próximo, como um brinquedo ou um cobertor de dormir. Evite prolongar as despedidas e não crie dramas, transmitindo segurança para o pequeno. É desejável ainda que a mãe ou o pai vá levá-lo e buscá-lo, rotina que proporcionará segurança.

 

Para uma melhor adaptação você não deve começar o dia com pressa ou dificuldades para sair de casa. Tente acordar a tempo para o café da manhã e deixe tudo o que você precisa arrumado no dia anterior, evitando atrasos e estresse. Os pais têm que lembrar também que o processo de separação envolve não só a criança, mas também os pais.

 

Além disso, os pequenos estão em sincronia emocional com os pais e sentem suas ansiedades e preocupações. Transmitir esse sentimento ao pequeno irá impedi-lo de explorar o novo ambiente e muitas vezes causar problemas na adaptação.

 

A ansiedade de separação sentida pelas crianças costuma começar no sétimo mês de vida, seguindo até o primeiro ano escolar. É uma reação perfeitamente normal, vivida por todas praticamente sem exceções.

 

Muitas vezes a entrada no berçário é a primeira experiência de separação para elas, enquanto outras podem já ter uma experiência anterior por ficarem com um avô ou uma babá. Aliás, essa última opção é uma boa alternativa para prepará-las para esse novo ambiente, já que os pequenos que são “experientes” em ficar sozinhos parecem ter menos problemas de adaptação que os “inexperientes”.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros