[the_ad_group id="16401"]
Especialidades > Saúde

Como o hipotireoidismo pode afetar a sua saúde

Por Redação Fortíssima 29/06/2016

Essa doença é mais comum entre mulheres e pode ser motivo pelo qual muitas estão insatisfeitas, com baixa autoestima e problemas no intestino. O hipotireoidismo é uma alteração na tireoide, glândula que age diretamente no bom funcionamento do organismo, que diminui a produção de dois hormônios importantes: o triiodotironina e a tiroxina.

A tireoide é localizada no pescoço, logo abaixo do famoso pomo de adão. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), ela é uma das maiores glândulas existentes no corpo humano  e pode pesar aproximadamente 25 gramas. Ela possui influência direta em grande parte dos órgãos existentes no corpo humano.

Tudo sobre o hipotireoidismo

A alteração no tamanho da tireoide é capaz de influenciar negativamente na produção dos hormônios chamados de triiodotironina e tiroxina. O distúrbio costuma ser diagnosticado em mulheres e não tem idade para acontecer. Essa queda é capaz de resultar na desaceleração do organismo e praticamente todas as funções são comprometidas.

Quem apresenta hipotireoidismo pode sentir os efeitos da depressão, diminuição dos batimentos cardíacos, dificuldade para defecar, queda de cabelo, pele ressecada, sono constante, ciclo menstrual alterado e diversos outros sintomas que podem comprometer as suas funções no trabalho e vida pessoal.

O problema costuma ter relação com a Tireoidite de Hashimoto, doença autoimune que influencia na produção de anticorpos que trabalham contra as células da tireoide. A disfunção também pode ser identificada em recém-nascidos por meio do famoso teste do pezinho, além do autoexame da tireoide – indicado após os 40 anos de idade.

O autoexame pode ser feito semestralmente em casa. Para executar, fique de frente para um espelho e levante o pescoço. Beba um pouco de água e procure por caroços ou saliências. Se encontrar, entre em contato com endocrinologista para definir o diagnóstico.

Se não tratado, de acordo com a SBEM, o hipotireoidismo pode evoluir para quadros de anemia, problemas gastrointestinais, neurolígicos, metábolicos e renais. O afetado ainda pode apresentar disfunções respiratórias, insuficiência cardíaca e até retardo mental – em casos de recém-nascidos.

Hipotireoidismo

O hipotireoidismo pode ser diagnosticado com autoexame indicado após os 40 anos de idade. Foto: iStock, Getty Images

Tratamento para o hipotireoidismo

O método mais indicado por endocrinologistas é o tratamento com levotiroxina. As doses são escolhidas de acordo com o caso e extensão do problema. Esse medicamento deve ser ingerido diariamente e em jejum. O médico ainda pode indicar outros remédios para potencializar a absorção das substâncias encontradas nos comprimidos.

Os primeiros resultados costumam ser identificados depois de três semanas do início do tratamento. Alguns pacientes podem ter a necessidade de utilizar a levotiroxina pelo resto da vida. O médico responsável pelo diagnóstico irá encontrar a dose adequada e o período certo para que os efeitos do hipotireoidismo sejam minimizados.

E aí, entendeu melhor como o hipotireoidismo afeta o organismo? Deixe o seu comentário!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]