Beleza > Estética > Pele

Rugas e linhas de expressão: 5 funções da pele perdidas com o envelhecimento precoce

Por Debora Stevaux 17/04/2018

Pode soar estranho para a maioria das pessoas, mas é verdade: a pele é o maior órgão do corpo humano, bem como também o mais exposto. E por estar, diariamente, sob ação de uma infinidade de fatores externos como os raios solares e a poluição, caso não seja cuidada de forma adequada, é muito comum que comecem a surgir problemas de envelhecimento precoce: as temidas rugas, marcas de expressão e de flacidez.

Veja também: 5 Exercícios faciais para evitar rugas

A função da pele não é só estética. Saiba quais são as outras e porque sinais físicos como rugas e linhas de expressão podem ser um alerta. (Foto: iStock)

No entanto, a pele não desempenha somente a função estética – não que essa seja menos importante –, mas também tem seu papel fisiológico. E se algo não vai bem, é normal que ela dê sinais de que não está funcionando como deveria. Quer saber o que o envelhecimento precoce causa na sua pele e como preveni-lo? Então, vamos lá:

Leia mais: Toxina botulínica ameniza rugas e linhas de expressão

  • Perda da capacidade de regular a temperatura do corpo

Essa função para lá de importante é chamada de termorregulação pelos cientistas. É através da secreção do suor produzido pelas glândulas sudoríparas que a pele se incumbe de manter a temperatura corporal saudável. “Com a redução das glândulas sudoríparas através do processo de envelhecimento e  perda de gordura no tecido subcutâneo, há uma dificuldade de adequar a temperatura corporal que vai crescendo gradualmente com o passar dos anos e a recorrência do descuido”, explica a Dra. Claudia Marçal, dermatologista especializada pela Associação Médica Brasileira (AMB), membra titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology (AAD).

  • Perda da capacidade de proteger o corpo

A epiderme, como é chamada cientificamente a parte mais externa da pele, é composta, principalmente, por queratinócito, como é chamado o produtor da queratina. Ela, por sua vez, é responsável pela proteção da pele, por ser resistente e impermeável. A melanina, por sua vez, também é uma proteína capaz de proteger a pele, mas dessa vez, por meio do pigmento. “A epiderme possui ainda células responsáveis pela imunidade: as células de Langerhans. Mas com o afinamento da pele  e diminuição das células de defesa e da vascularização, decorrentes das constantes agressões, há um enfraquecimento dessa capacidade de proteção e um risco maior de aumento de infecções”, comenta a especialista.

  • Redução do amortecimento dos músculos

O tecido gordo ou adiposo, localizado na região subcutânea, é rico em células que possuem óleos e gorduras, conforme o próprio nome já diz. Esse conjunto celular também é responsável por formar uma camada de defesa, uma espécie de ‘almofada’ para amortecer os músculos. “Além disso, essa camada funciona como um reservatório de calor. Com a sua perda, há uma redução da vascularização e, consequentemente, uma baixa desse efeito amortecedor”, pontua a médica.

  • Baixa da lubrificação

A pele também é formada por uma camada chamada de manto lipídico, que conforme o nome sugere, é composta por óleo e água, responsável pela lubrificação da derme e dos pelos. “Essa camada de sebo e suor torna a pele mais resistente às infecções. Os fungos ou bactérias presentes no ar têm mais dificuldade de penetrar na pele e causar doenças. Da mesma forma, essa lubrificação e hidratação natural da pele é um reforço contra as ações danosas dos agentes externos como poluição, fumaça, vento e radiação solar”, esclarece Claudia. O descuido com a hidratação da pele também ajuda no processo de redução das glândulas sebáceas. Consequentemente, há um ressecamento, fomentando o surgimento de rugas e facilitando a entrada de microrganismos.

  • Perda de elasticidade

Essa é uma das funções mais importantes da pele no caso da cicatrização ou outros fenômenos que a estique por alguma razão. “As fibras colágenos são as que proporcionam resistência para a pele, sustentando uma rede de outras estruturas como pelos, unhas, glândulas sebáceas e sudoríparas”, conta ela. A ação dos raios infravermelhos atinge a porção mais profunda da pele, onde estão as fibras  de sustentação. Esse quadro também favorece o surgimento de câncer de pele.

Como prevenir?

Para prevenir a perda das funções fisiológicas da pele, é determinante ter um estilo de vida saudável e cuidados diários com a pele. Estudos científicos apontam que 80% do envelhecimento precoce é causado pelo estilo de vida inadequado das pessoas. “Dormir de 7h a 8h por noite, ter uma alimentação saudável e rica em proteína, manter-se hidratado são algumas dicas básicas e fundamentais”, pontua a dermatologista, que completa: “A limpeza, tonificação, hidratação e fotoproteção devem ser feitas diariamente e sempre seguindo orientações de um especialista.”


Sites parceiros