[the_ad_group id="16401"]
Relacionamento

As vantagens do casamento e relacionamentos a longo prazo

Por Redação Doutíssima 10/01/2014

images (1)

O ditado popular diz que as pessoas casadas vivem mais e são mais saudáveis que os solteiros. E a pesquisa sugere que pode ser verdade. Estudos mostram que pessoas casadas, especialmente os homens, são menos propensos a morrer cedo e são menos propensos a morrer de doença cardíaca ou acidente vascular cerebral. Mas por quê? E o que dizer de pessoas que estão em relacionamentos comprometidos, mas não disseram “sim”? Ou aqueles que estão felizes solteiros? Especialistas nos contam as vantagens do casamento e relacionamento a longo prazo.

 

 

O que é tão saudável sobre o casamento?

 

Um comportamento mais seguro. Christopher Fagundes, PhD, psicólogo e pesquisador da Universidade Estadual de Ohio – USA, diz que há menos riscos e abuso de substâncias quando os casais se casam, ainda menos do que se eles apenas morassem juntos.

 

Socialmente conectado. “Se você é casado, o ideal é que é o seu relacionamento seja mais próximo”, diz Janice Kiecolt-Glaser e Robert Davis PhD na Universidade de medicina do Estado de Ohio.

 

Por outro lado o psiquiatra Sudeepta Varma, diz que as pessoas que estão sozinhas e infelizes podem correr o risco do isolamento social. Isso pode levar à depressão e negligenciando a saúde.

 

O psicólogo Theodore Robles na universidade UCLA, diz: “O seu cônjuge é uma grande força de influência em seu próprio comportamento Você tem alguém para te embrar que você não deve comer isso, que você deve beber menos etc.” Isso significa que seu cônjuge pode ajudar você a manter hábitos saudáveis “.

 

As pessoas que estão em relacionamentos conjugais felizes também são mais propensos a seguir as recomendações de seus médicos, a pesquisa mostra.

 

O que saber sobre outros relacionamentos de longo prazo?

 

Viver com o seu cônjuge sem ser casado também pode ter benefícios para a saúde. “O consenso geral é que, sim, coabitação tem efeitos positivos, mas não com a mesma intensidade como o casamento”, diz Fagundes.

 

Grande parte da pesquisa nesta área tem sido feita em casais heterossexuais, mas os especialistas entrevistados para esta reportagem não via por que os benefícios de ter um parceiro não deve se estender às parcerias do mesmo sexo.

 

“O amor e apoio, que é como isso se traduz em nós, nos ajudam a cuidar melhor de nós mesmos quando temos alguém que contrói nossa felicidade. Isso é imensurável”, diz Varma.

 

 

Contagens de qualidade

 

O fato de apenas usar uma aliança não é suficiente. Um casamento feliz pode significar uma melhor saúde. Um estudo com pacientes que utilizam marcapasso por exemplo, apresentaram maior longividade, mais de 15 anos, entre os casados e felizes. Mas o outro lado da moeda também é bem verdadeiro. Estar em um casamento infeliz pode ser insalubre para ambos as partes.

Por quê? Uma razão pode ser que o estresse crônico de um casamento ruim que pode afetar o sistema imunológico e as mulheres podem ser particularmente vulneráveis.

 

Mulheres são mais sensíveis à hostilidade em um relacionamento em relação aos homens, diz Kiecolt-Glaser. Sua equipe filmaram casais discutindo. “Os casais que estavam mais hostis durante os desentendimentos apresentaram alterações mais acentuadas nos hormônios do estresse e feridas curadas menos rapidamente”, diz ela. Ou seja, mais hostilidade pode prejudicar o sistema imunológico para casais com problemas de relacionamento crônico.

 

Mas a qualidade do relacionamento também pode afetar os homens. “Agora sabemos que a depressão, obesidade e hipertensão podem ser resultados de mulheres que sofrem em casamentos infelizes,” diz Varma. “Mas eu também vejo um monte de abusos de drogas e depressão em meus pacientes do sexo masculino na mesma situação.”

 

Com base na sua prática, Varma acredita que homens e mulheres são igualmentes afetados por relacionamentos infelizes, os resultados demonstram apenas o manifesto de forma diferente.

 

Prosperando o relacionamento.

 

Sim é verdade, as pessoas podem prosperar por conta própria.

 

“Se alguém é único, ele pode ou não apontar para uma dificuldade em estabelecer relações estreitas”, diz Varma. “Para alguns, este é o caso. Para outros, é simplesmente poraue eles não têm encontrado o seu parceiro de vida ainda. A chave seria se cercar de boas pessoas que se importam com você, e que você está disposto a ajudar.”

 

O mesmo vale para as pessoas que se divorciam. O divórcio está ligado a um maior risco de morte prematura, especialmente em homens, observa David Sbarra, PhD e professor associado da Universidade do Arizona, Tucson. Mas “a maioria dos adultos divorciados se saem muito bem no tempo e desfrutam de uma elevada qualidade de vida após o fim do casamento”, diz Sbarra. “Por isso, é provável que, se você está em um casamento infeliz e tentam resolver isso, mas simplesmente não conseguem, o divórcio é uma opção real e razoável. Se você se divorciar e se sentir feliz, então não se preocupe muito muito sobre os potenciais efeitos negativos na saúde. ”

 

As mulheres podem se sair melhor por conta própria em relação aos homens homens. “Quando olhamos para solteiros bem saudáveis, vemos que as mulheres tendem a ficar bem e os homens nem tanto, provavelmente pelas mesmas razões os homens se beneficiam mais do casamento”, diz Fagundes.

 

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]