[the_ad_group id="16401"]
Exercícios

Descanso ativo é técnica que potencializa resultados da academia. Conheça!

Por Redação Doutíssima 18/07/2014

A nova moda para aumentar o rendimento e os resultados na academia é o descanso ativo. Ele serve para alcançar um melhor condicionamento do seu corpo e, por consequência, potencializar o desempenho nos treinos.

Entenda o que é o descanso ativo

Geralmente, dois tipos de descanso são usados no período de treinamento: o descanso ativo e o passivo – esse último se caracteriza quando o treinamento é completamente interrompido.

descanso-ativo

O descanso ativo se dá quando o atleta não interrompe por completo a atividade. Foto: Shutterstock

Atividades de repouso podem ser usadas entre as sequências de um único treino (por exemplo, alternar força e equilíbrio) ou, também, em forma de atividades complementares entre 24 e 48 horas de diferença (como musculação e pilates em dias alternados).

O descanso ativo se dá quando o atleta não interrompe por completo a atividade, mantendo, assim, outro exercício de esforço mais leve, como uma corrida alternada com caminhada, ou musculação alternada com treino funcional.

Essa prática é considerada uma forte aliada para aquelas pessoas que buscam um catalisador no processo de perda de peso ou ganho de massa magra. Ao intercalar resistência e força, o resultado do descanso ativo aparece rapidamente nas curvas do corpo.

Como é planejado o descanso ativo

O descanso ativo é planejado com uma função pré-definida no circuito executado. Ele vai além dos benefícios relacionados diretamente à definição. A programação é eficaz na saúde do músculo. Isso acontece, pois a prática de intercalar movimentos evita que haja uma formação excessiva de ácido lático nos músculos.

Esse ácido lático se forma por causa da queima de glicose armazenada no corpo e gera dores musculares que podem ser eliminadas com exercícios em menor intensidade, que vão auxiliar na irrigação do sangue e eliminação do ácido lático formado.

Por que adotar o descanso ativo

Essa explicação justifica o porquê de muitas academias estarem adotado o descanso ativo após sessões de treinos pesados: a musculatura, quando retrabalhada em menor intensidade, tem um aumento na circulação de sangue em suas fibras, recebendo mais oxigênio e nutrientes.

Isso faz com que o músculo fique livre de dor e, com isso, se recupere totalmente, tirando o máximo proveito das sequências que virão pela frente.

Tal recuperação é mais eficiente, inclusive, do que se deixássemos o músculo totalmente parado, pois com o descanso ativo há uma frequência cardíaca mais baixa do que quando se faz exercício pesado, porém, mais alta do que no repouso absoluto. É isso que faz a diferença na circulação dos nutrientes que regeneram o músculo, permitindo dessa forma uma recuperação antecipada.

Descanso ativo trabalha diferentes músculos

A ideia do descanso ativo é sempre trabalhar um conjunto de músculos diferentes daqueles que foram estressados na sequência de treino. Por exemplo, contrapor musculação e corrida é a indicação unânime para quem quer obter mudanças na resistência e no preparo físico.

Se você quer preparar seu corpo para uma corrida, sem fazer uso da musculação, caminhadas e trotes leves podem ser usadas de forma intercalada com a corrida. Além disso, a natação serve de aliada no período de descanso ativo.

Já para quem quer se recuperar rapidamente, com a finalidade de definição muscular, o indicado é intercalar o treino de musculação com atividades eficientes na ativação do sistema circulatório, como a natação, o transport e a bike.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]