Especialidades

Cintilografia é exame cardíaco moderno. Veja como funciona

Por Redação Doutíssima 06/11/2014

A cintilografia é um exame feito através de um diagnóstico por imagem. A cintilação diz respeito ao processo de formação da imagem quando o órgão é examinado através de radiação. Nesse sistema de diagnose, diferentes materiais radioativos chegam aos órgãos do corpo humano.

cintilografia

Exame ajuda a detectar problemas no coração. Foto: iStock, Getty Images

Esses elementos são escolhidos de acordo com a afinidade natural do organismo ou têm em sua composição substâncias que estejam ligadas de alguma forma com a parte examinada.

Quando os elementos radioativos chegam ao órgão que está sendo avaliado, as radiações que ele emite são detectadas pelo aparelho em imagens, que são traduzidas pelos médicos. O paciente que realiza o exame recebe um medicamento especificamente formulado para esse procedimento.

O aparelho utilizado na cintilografia é o Gama-Câmara, que capta as emissões radioativas e mede sua incidência no órgão em forma de imagens. Desse modo, é possível enxergar a presença do material nas diferentes regiões do corpo.

De acordo com a cor, em diversas tonalidades, é possível ver a substância e sua concentração no local a ser estudado. Essa substância varia de acordo com o órgão.

Cintilografia apresenta menos riscos que exames de contraste

No coração, o exame de cintilografia determina se o músculo do coração recebe a quantidade de sangue correta ou se uma área, em específico, está sendo mal irrigada devido a alguma artéria coronariana possivelmente obstruída.

O processo cintilográfico permite um tratamento não-invasivo no paciente, evitando o exame de coronariografia, que consiste na intervenção dentro das artérias, o que aumenta o risco do procedimento e utiliza contrastes de iodo e raio-x.

A cintilografia divide-se em duas etapas, sendo a primeira de repouso e a segunda de esforço físico ou farmacológico, seguindo orientações médicas. O material utilizado nesse exame não é de contraste e, por isso, não é prejudicial à saúde, não provocando reação e expondo minimamente o paciente à radiação.

O exame de cintilografia é indicado para confirmar ou invalidar um eletrocardiograma, para diferenciar uma área de isquemia da área de infarto (ou localizar a zona de isquemia), e para confirmar a revascularização do paciente após um bypass (cirurgia de ponte no coração).

Também se indica o procedimento cintilográfico em pacientes com prognóstico de doença coronária, ou quando um eletrocardiograma de repouso ou esforço não permite avaliação no paciente devido a alterações no organismo. O que limita a realização desse tipo de exame é o alto custo.

Cuidados antes de fazer a cintilografia

Antes da cintilografia é preciso preparar-se com alguns cuidados. Apesar de não ser necessário o jejum, recomenda-se suspender café, chá, chimarrão, chocolate, guaraná, refrigerantes de cola, alimentos com cafeína e analgésicos, já que eles podem prejudicar o funcionamento do exame.

Além disso, alguns medicamentos também devem ser suspensos. Para saber quais, é preciso avaliação médica. Os principais remédios evitados são antigripais, relaxantes musculares, analgésicos e medicamentos específicos para o coração.

Porém, nunca se deve parar a medicação sem uma ordem do médico. Anti-hipertensivos raramente são retirados no pré-exame, bem como diuréticos e antiarrítmicos. É recomendável também levar todos os exames já feitos para o coração. Pacientes gestantes não podem passar pelo processo cintilográfico, sendo necessário apresentar exame negativo de gravidez.

 

 


Sites parceiros