Especialidades

Caroço na virilha pode indicar doença sexualmente transmissível

Por Redação Doutíssima 25/11/2014

Existem diversas causas para o surgimento de um caroço na virilha. Entre elas, algumas doenças sexualmente transmissíveis costumam manifestar este sintoma. Herpes genital, sífilis e linfogranuloma venéreo são DSTs que podem se tornar bastante graves logo após o aparecimento do caroço.

caroço-na-virilha

Diversas DSTs provocam o aparecimento de ínguas na virilha. Foto: iStock, Getty Images

Herpes genital se manifesta por caroço na virilha

O herpes genital se manifesta por meio de várias bolhas, quase sempre localizadas na parte externa da vagina e na cabeça do pênis, ou por meio de um caroço na virilha. As feridas surgem quando as bolhas são coçadas, já que ardem e causam coceira intensa.

Essa doença costuma aparecer e desaparecer sem motivo aparente, dependendo de fatores como estresse, cansaço, exposição solar e algum tipo de trauma para sua reincidência. O vírus do herpes não tem cura, portanto mesmo que as feridas não sejam aparentes, a doença continuará presente no organismo.

Essa doença é transmitida através da relação sexual (vaginal, oral ou anal) desprotegida. Quando entra em contato com o vírus da ferida, a pessoa é contaminada. Por ser altamente contagiosa, recomenda-se que a pessoa que possuí o vírus abstenha-se do sexo durante o período em que as bolhas ou caroços estejam aparentes.

O uso de preservativo é bastante eficiente. Caso aconteça a contaminação, o tratamento é feito com medicamentos antivirais e busca reduzir a duração dos sintomas, diminuindo também os riscos de transmitir a herpes.

Caroço na virilha pode ser sinal de sífilis

A sífilis é uma doença causada por bactéria transmitida por meio das relações sexuais. Inicialmente, ela é detectada por meio de um caroço na virilha ou pequenas feridas nos órgãos sexuais, geralmente sem dor, coceira ou ardência. Após algum tempo, esses sinais podem desaparecer, simulando uma possível cura.

Porém, caso não seja detectada logo, a sífilis pode evoluir e causar danos ao organismo ao longo do tempo. Entre as consequências, estão a cegueira, doenças cardíacas, paralisia e até mesmo a morte.

Essa doença pode ser tratada logo após a pessoa perceber as anomalias como o caroço na virilha. Como não existe uma vacina, são utilizados antibióticos como a penicilina no tratamento.

Até o momento de completar os processos para tratar a sífilis, é necessário evitar relações sexuais. Quando não tratada, a doença pode comprometer diversas partes do corpo.

Linfogranuloma venéreo

O linfogranuloma venéreo pode ser diagnosticado por uma lesão genital que dura de 3 a 5 dias e se caracteriza como uma ferida, elevação na pele ou caroço na virilha. Não é muito fácil identificar as lesões, já que duram pouco tempo e podem ser confundidas com outros problemas.

Depois dessas primeiras feridas, os gânglios da virilha começam a inchar, formando o chamado bubão. Quando não é feito um tratamento adequado, o inchaço evolui e pode romper, formando feridas com pus.

Como o contágio dessa doença é feita pelo contato sexual, o modo de prevenção é feito através do uso de preservativos. Além disso, higienizar os órgãos genitais após o sexo também é uma maneira de evitar o contágio.

O tratamento das feridas é feito com antibióticos. Porém, quando o caso se agrava e gera elefantíase ou estreitamento retal, somente um médico pode indicar o procedimento mais adequado para tratar.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros