Saúde Mental

Entenda o que leva ao desenvolvimento da ortorexia

Por Redação Doutíssima 28/11/2014

Como diz o bom e velho ditado, tudo em excesso faz mal. Isso vale até mesmo para o cuidado exagerado com a alimentação e a busca obsessiva por comidas saudáveis. Esse comportamento, aliás, tem nome: ortorexia.

ortorexia

Comportamento obsessivo por comer saudável caracteriza a ortorexia. Foto: iStock, Getty Images

Ortorexia é um transtorno alimentar

Quando se pensa em transtornos alimentares logo nos lembramos de pessoas que comem em excesso e sofrem com a culpa, o que pode evoluir para uma bulimia ou anorexia. Mas foi identificado um outro tipo de transtorno que também merece atenção, a ortorexia.

Esse novo transtorno alimentar foi diagnosticado há poucos anos e ao contrário dos sintomas de outros problemas com alimentação, a pessoa não se recusa a comer ou provoca formas de eliminar a comida imediatamente.

Nesse distúrbio, o indivíduo fica obcecado pelo padrão de tudo que come, os seus pensamentos ficam a maior parte do tempo voltados aos cuidados com a dieta e com o tipo de alimentação que ele pode ter.

Como identificar a ortorexia

Na ortorexia, cada alimento passa por uma varredura investigativa para avaliação de seu grau de vitaminas, nutrientes e calorias, no intuito de verificar se é saudável ao nível desejado e se pode ser ingerido por aquela pessoa.

Algum cuidado com o comemos são normais e a verificação dos rótulos pode apenas um zelo. Mas estamos falando do exagero, que chega a causar sofrimento à pessoa. Este indivíduo cria as suas listas de permitidos e não permitidos e leva com rigor máximo, sem nunca se permitir nada.

Geralmente, o que causa problemas e transtornos alimentares está mais associado ao emocional que a qualquer outra coisa e o mesmo ocorre com a ortorexia. A pessoa passa a ter medo absurdo de engordar e, por mais magra que esteja, continua se vendo acima do peso.

Também são características comuns sofrer com baixo auto-estima e colocar muita expectativa na mudança com a dieta. Ainda acreditam que as pessoas passam a gostar mais dela por causa da nova forma, entre outros sentimentos mal resolvidos internamente que podem acabar gerando um sério transtorno.

Como ajudar um amigo ou familiar

Mas como saber se um amigo ou parente está com sinais de ortorexia? Geralmente, antes de começar esse processo obsessivo, ele vai dar indícios que citamos acima, o que já pode ser um alerta.  Mas também fique atento se a pessoa mostrar comportamento excessivo em relação aos seguintes fatores:

– Só consome produtos que considera saudável, sem qualquer exceção;

– Examina minuciosamente cada alimento e não come se não souber nos pormenores como foi feito – por exemplo, você convida para almoçar e a pessoa quer saber tudo que tem naquele prato;

– Geralmente, não consegue comer uma refeição preparada por outras pessoas;

– Pensa em manter a sua dieta e nos alimentos permitidos compulsivamente;

– Fica extremamente angustiado ao consumir algo que pode não ser bom para ela.

As relações sociais para quem sofre de transtornos alimentares podem ficar seriamente abaladas, pois eles param de se relacionar com quem não partilha de seus princípios. O que é preciso entender é que essa pessoa precisa de ajuda e você pode ser o amigo para fazê-la aceitar isso.

O ideal é buscar um terapeuta ou médico especializado em transtornos alimentares. A ortorexia é um problema relativamente novo, mas há muitos profissionais qualificados para os problemas com alimentação.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros