[the_ad_group id="16403"]
Medicina Alternativa

Conheça os benefícios medicinais do jambu

Por Redação Doutíssima 26/12/2014

O tacacá é um prato típico do Pará, muito conhecido e apreciado. O que a maioria das pessoas não sabe é que para prepará-lo, utiliza-se uma planta chamada jambu, também conhecido como abecedária, agrião-do-pará, agrião-da-amazônia, agrião-do-norte, agrião-bravo, agrião-do-brasil, jabuaçú ou jamaburana.

jambu

O jambu, muito utilizado na culinária, tem também propriedades de cura. Foto: iStock, Getty Images

Porém, essa planta não é somente aproveitada na culinária, mas também para tratamentos de problemas de saúde. Seu nome científico é Spilanthes acmella, e ele pode ser encontrado em mercados, feiras livres e lojas produtos naturais.

Saiba mais sobre o jambu

Essa é uma uma hortaliça nativa da região amazônica, mas que atualmente é cultivada em vários locais do mundo. Apesar de nativa do Brasil, adaptou-se muito bem para o cultivo nessas demais localidades, inclusive sendo adotada como especiaria na culinária chinesa. Em diferentes países do mundo, seu extrato concentrado serve como aromatizante.

Em nosso país, essa planta é encontrada prioritariamente nas regiões norte e nordeste, sendo muito popular, especialmente, no estado do Pará. Na culinária, é usado como condimento e seus ramos, folhas e flores podem ser ingeridos crus em saladas e refogados ou assados em pratos quentes.

Possui sabor bastante peculiar, especialmente em suas flores, que, em contato com a boca, causam sensação de formigamento e entorpecimento das mucosas bucais. Isso ocorre devido à presença de uma substância chamada espilantol.

Benefícios medicinais do jambu

Além de suas inúmeras facetas dentro da culinária mundial, o jambu é amplamente conhecido como uma erva medicinal. Ele pode ser utilizado para tratar alguns males como candidíase, herpes, dor de dente, pedra na vesícula, fraqueza, problemas de pele, tosse, tuberculose pulmonar, gengivite, entre outros.

Sua ação medicinal é possível graças às suas propriedades anestésica, antifúngica, diurética, antiviral, antisséptica e estimulante do sistema imunológico.

Um dado bem interessante sobre o jambu é que ele precisa de apenas 40 dias, entre seu plantio e a colheita, para poder ser consumido. É encontrado muito facilmente em Belém, no Pará, em qualquer mercado ou feira livre.

Como utilizar o jambu

Na culinária, a planta pode ser utilizada na forma de suas folhas frescas e cruas, no preparo de saladas. Ela também é bastante utilizada para o preparo de pratos típicos do Pará, como o tacacá ou a pizza de jambu.

 

Entretanto, se o intuito for utilizar o jambu com fins medicinais, a fim de usufruir de suas propriedades anti-inflamatórias e anestésicas, entre outras, é interessante utilizá-lo na forma de chá, no qual são usadas suas folhas, flores ou raízes. Veja, abaixo, como prepará-lo.

Ingredientes

– 10 g de folhas de jambu

– 500 ml de água

Modo de Preparo

Ferva a água e acrescente as folhas. Em seguida, cubra o recipiente e deixe descansar em infusão por cerca de 10 minutos. Coe e beba até três vezes ao dia.

Efeitos colaterais e contraindicações

Um dos principais e mais delicados efeitos colaterais da planta é o aumento das contrações do útero, quando é consumido em excesso. Por esse motivo, não deve ser consumido, em hipótese alguma, por mulheres grávidas, já que pode causar aborto ou parto prematuro.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]