[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Aprenda a identificar as diferenças entre rinite e sinusite

Por Redação Doutíssima 15/07/2015

Nariz entupido e escorrendo é algo que incomoda muitas pessoas ao longo do ano, principalmente no inverno. Essa condição nasal pode significar a ocorrência de várias doenças, inclusive as conhecidas rinite e sinusite. Se você também apresenta inchaço no rosto e dores de cabeça, as chances do diagnóstico apontar alguma dessas alergias aumentam.

 

Diferenças entre rinite e sinusite

Rinite e sinusite são inflamações causadas por alergias. A primeira atinge o nariz e suas mucosas (parte interna). Já a segunda afeta os sinus, que são cavidades nos ossos do rosto. Em ambos os casos, o surgimento dessa irritação e do processo inflamatório podem ter variadas causas.

rinite e sinusite

Sinusite e rinite são condições comuns no inverno e atingem a área respiratória. Foto: iStock, Getty Images

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a rinite alérgica acontece quando algo capaz de causar alergia é aspirado na respiração. A parte interna (mucosa) do nariz fica inchada e inflamada. Em um número menor de casos, a rinite pode ser causada por infecção.

As partículas capazes de causar a rinite alérgica são muitas. Quando são fatores externos como pólen, grama, mofo ou árvores, pode ser considerada uma alergia sazonal. Além desses, poeira, produtos de limpeza, cupins e contato com animais podem desencadear o processo inflamatório.

Já a sinusite, inflamação dos sinus, é diferente e pode ser aguda (repentina) ou crônica (que surge lentamente) conforme as informações da OMS. Quando as cavidades dos ossos da face ficam cheias de fluído da inflamação, germes se instalam e causam sintomas como dores de cabeça e secreção nasal amarelada.

A sinusite pode ser causada por uma gripe, pela rinite ou por fungos e pólipos nasais. Sendo assim, rinite e sinusite estão muito ligadas porque a primeira pode ocasionar o aparecimento da segunda.

Conforme informações do portal do Governo do Estado de Santa Catarina, é no inverno que a sinusite e a rinite são mais comuns, pois a baixa umidade, o resfriamento do ar e o contato com ácaros podem influenciar no aparecimento de condições respiratórias. No entanto, saiba que esses problemas podem ocorrer ao longo do ano todo.

Tratamento para rinite e sinusite

Os tratamentos para rinite e sinusite variam conforme os casos. Em geral, problemas simples na região respiratória melhoram assim que o fator causador não está mais presente. Ainda podem ser utilizados medicamentos que aliviam os sintomas até que a situação esteja resolvida.

O Ministério da Saúde informa que se distanciar de componentes alérgicos também é um cuidado de prevenção. Remédios comuns usados no tratamento são corticoides intranasais e anti-histamínicos.

O órgão alerta que cada medicação tem orientações distintas e quando usadas por tempo prolongado, podem causar um efeito rebote e provocar uma “rinite medicamentosa”.

O tratamento da sinusite começa com a desobstrução das vias aéreas para que o líquido acumulado nos sinus possa sair. A lavagem nasal é uma das opções para desentupir o nariz e demais órgãos respiratórios.

O uso de antibióticos pode ser recomendado para combater as bactérias da sinusite. A doença crônica, ou seja, resistente a tratamentos e reincidente, pode exigir o uso de outros medicamentos e até um procedimento cirúrgico.

Seja qual for o motivo de desconforto nasal, incluindo a rinite e sinusite, é preciso procurar um médico para avaliar as causas e as opções de tratamento. Cada caso é único e precisa da orientação de um profissional da saúde para aliviar sintomas e tratar o problema.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]