Filhos

Pai de primeira viagem? Aproveite as dicas e curta o momento

Por Redação Doutíssima 09/08/2015

Quem é pai de primeira viagem geralmente enfrenta um pouco mais de dificuldade nos cuidados com o filho. A falta de experiência, o medo de errar, os contatos iniciais com a criança e toda a novidade do momento fazem com que o homem se transforme e passe a ter uma responsabilidade maior consigo mesmo.

 

Para não encarar todo o processo como algo pesado, os pais podem aproveitar o momento com o filho recém-chegado participando ativamente da rotina. O aprendizado diário faz com que a figura paterna tenha protagonismo junto à mãe, educando o bebê para o mundo. Saiba como o pai de primeira viagem pode se sentir realizado com a experiência.

pai de primeira viagem

Homens devem superar o medo e encarar a paternidade sem traumas. Foto: iStock, Getty Images

 

Pai de primeira viagem: o inédito Dia dos Pais

O 9 de agosto será muito especial para o pai de primeira viagem. O primeiro Dia dos Pais é sempre marcante. Surgida em 1909, a data remonta à história de Sonora Louise Dodd que realizou uma homenagem a seu pai, John Bruce Dodd, responsável por criar todos os seus filhos sozinho.

 

A data escolhida por Sonora foi 19 de junho, dia do aniversário de seu pai. Porém, somente depois de 1924 o Dia dos Pais passou a ser comemorado nos Estados Unidos. Em 1966, o presidente Calvin Coolidge tornou o terceiro domingo de junho como data oficial nos Estados Unidos.

 

No Brasil, em 1953, um concurso premiou diferentes tipos de pais: o mais jovem, o mais velho e o que possuía mais filhos. A atividade foi proposta por Sylvio Bhering, um publicitário, e ocorreu em 14 de agosto, dia de São Joaquim, o patriarca da família. Desde então, indústria e comércio aproveitam o segundo domingo de agosto para comemorar o Dia dos Pais.

 

Como deve agir o pai de primeira viagem

A chegada do filho de um pai de primeira viagem torna o homem menos egoísta e mais preocupado com as necessidades alheias. Por meio da convivência com a criança, ele passa a exercitar uma nova forma de vida, que inclui um ser totalmente dependente dele.

 

Segundo uma pesquisa da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, a rejeição vinda do pai é mais intensa que a materna. As consequências para os pequenos envolvem ansiedade, insegurança e relacionamentos frágeis, além de comportamento agressivo.

 

Para se tornar um presente e participativo, veja a seguir dicas para ser um bom pai de primeira viagem.

 

1. Não se sinta excluído da rotina. Aproveite os meses da gravidez e logo depois do nascimento, sem medo de dedicar toda a atenção para mãe e bebê. Compartilhe pacientemente.

 

2. O começo costuma ser difícil, mas logo você se adapta. Banhos e fraldas são simples, desde que feitos com amor. Aprenda e participe de cada momento.

 

3. Bebês choram e é difícil saber o porquê. Busque acalmar os ânimos, mas se ele não se tranquilizar, é hora de buscar um médico.

 

4. Entenda que o bebê prefere a mãe, pelo menos por algum tempo. Mas os pais não ficam de fora. Logo eles começam a desenvolver o amor paterno.

 

5. Toda a dedicação pelo filho vale a pena quando você puder aproveitar momentos a sós com seu filho. Conquiste a confiança dele, fazendo todo o necessário para que a criança se sinta amada.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros